Futura presidente interina da Bolívia anuncia que convocará eleições

Futura presidente interina da Bolívia anuncia que convocará eleições

Senadora Jeanine Añez quer um novo governo eleito em 22 de janeiro

Por
AFP

Senadora Jeanine Añez quer um novo governo eleito em 22 de janeiro


publicidade

A futura presidente interina da Bolívia, a senadora Jeanine Añez, disse nesta segunda-feira que serão convocadas eleições depois da renúncia de Evo Morales, para que "em 22 janeiro já tenhamos um presidente eleito". "Vamos convocar eleições com personalidades comprovadas, que realizem um processo eleitoral que reflita o desejo e o sentimento de todos os bolivianos", disse à imprensa na entrada da Assembleia Legislativa de La Paz. 

A Constituição boliviana prevê que o sucessor do presidente é o vice-presidente ou na falta dele, os titulares de senadores ou deputados por ordem de prelação. Hoje todos eles renunciaram aos seus cargos. O primeiro vice-presidente do Senado, Rubén Medinacelli, das fileiras da situação, deixou o posto. Desta forma, Añez crê que cabe a ela assumir o cargo vago deixado com a renúncia de Morales.

"Estou na segunda vice-presidência e na ordem constitucional me corresponderia assumir este desafio (da presidência) com o único objetivo de convocar novas eleições", disse Añez, entrevistada pela emissora de TV privada Unitel.


Morales demitiu-se do cargo neste domingo, pressionado por militares, policiais e comitês civis que exigiram que deixasse a Presidência. O Parlamento da Bolívia recebeu nesta segunda-feira a carta de renúncia. No documento, Morales ele disse estar determinado a evitar a violência e expressa seu desejo de que a paz social retorne ao país.