G7 alerta que a variante ômicron é "altamente transmissível" e requer "medidas urgentes"

G7 alerta que a variante ômicron é "altamente transmissível" e requer "medidas urgentes"

Países reconheceram a importância estratégica de garantir o acesso às vacinas

AFP

Passageiro usa equipamento de proteção para embarcar em Kuala Lampur

publicidade

A variante ômicron é "altamente transmissível" e requer "ação urgente", alertaram os ministros da saúde do G7 nesta segunda-feira após reunião de emergência convocada por Londres. "A comunidade internacional enfrenta a ameaça de uma nova variante altamente transmissível da Covid-19, que requer ação urgente", disseram os ministros em um comunicado conjunto após a reunião. "Os ministros elogiaram o trabalho exemplar da África do Sul em detectar a variante e alertar os outros", acrescentaram, enquanto lamentaram as restrições impostas àquela nação.

Os países do G7 "reconheceram a importância estratégica de garantir o acesso às vacinas", "preparar" os países para receber as doses, fornecer "assistência operacional, cumprir nossos compromissos de doação, abordar a desinformação sobre vacinas e apoiar a pesquisa e o desenvolvimento". Eles também se comprometem a "continuar a trabalhar em estreita colaboração com a Organização Mundial da Saúde (OMS) e parceiros internacionais para compartilhar informações e monitorar a ômicron". "Os ministros prometeram se reunir novamente em dezembro", disseram.

A nova variante representa um "risco muito alto" em todo o mundo, alertou a OMS. A lista de países em que foi detectada é crescente, principalmente na Europa, depois que os primeiros casos foram registrados em países do sul da África em novembro.

Veja Também

Ouça:



Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895