G7 insta a Rússia a procurar e processar "urgentemente" os autores do envenenamento de Navalny

G7 insta a Rússia a procurar e processar "urgentemente" os autores do envenenamento de Navalny

Declaração é assinada pelas diplomacias de Alemanha, Canadá, EUA, França, Reino Unido, Itália e Japão

AFP

G7 promete "monitorar de perto" a resposta russa aos pedidos internacionais de explicações

Os chanceleres do G7 exigiram nesta terça-feira que a Rússia encontre e processe com urgência os culpados pelo envenenamento do líder da oposição Alexei Navalni.

"Os Ministros das Relações Exteriores do G7 instam a Rússia a estabelecer de forma urgente, completa e transparente quem é o responsável por este hediondo ataque de envenenamento e, levando em consideração seus compromissos no âmbito da Convenção de Armas Químicas, levar os perpetradores à justiça", disseram as principais democracias industriais em um comunicado conjunto divulgado pelos Estados Unidos.

Na declaração, os responsáveis pelas diplomacias de Alemanha, Canadá, Estados Unidos, França, Reino Unido, Itália e Japão se dizem "unidos na condenação, nos termos mais veementes", do envenenamento confirmado de Navalni.

A Alemanha, onde este opositor russo de 44 anos está sendo tratado, "informou seus parceiros do G7 que análises clínicas e toxicológicas realizadas por médicos especialistas e um laboratório especializado das forças armadas do país determinaram que Navalni foi vítima de um ataque com o agente químico do grupo Novichok, uma substância desenvolvida pela Rússia ", informou o texto.

"Qualquer uso de armas químicas, em qualquer lugar, a qualquer momento, por qualquer pessoa e quaisquer que sejam as circunstâncias, é inaceitável e contrário aos padrões internacionais", disseram os ministros neste comunicado de imprensa dos Estados Unidos, que preside o G7 este ano.

"Este ataque ao líder da oposição Navalni é outro golpe severo contra a democracia e a pluralidade política na Rússia. Representa uma séria ameaça a esses homens e mulheres que defendem as liberdades políticas e cívicas", acrescentaram.

O G7 promete "monitorar de perto" a resposta russa aos pedidos internacionais de explicações.


publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895