Governo anuncia captura do principal chefe do narcotráfico na Colômbia

Governo anuncia captura do principal chefe do narcotráfico na Colômbia

Anúncio de captura de Dairo Antonio Úsuga foi divulgado pelo alto conselheiro presidencial, Emilio Archila

AFP

Anúncio de captura de Dairo Antonio Úsuga foi divulgado pelo alto conselheiro presidencial, Emilio Archila

publicidade

O narcotraficante mais procurado da Colômbia, Dairo Antonio Úsuga (codinome 'Otoniel'), por quem os Estados Unidos ofereciam uma recompensa de cinco milhões de dólares, foi capturado por autoridades colombianas, informou o governo neste sábado.

"Reconhecimento especial à Força Pública (...) pela captura em Decoclí de Dairo Antonio Úsuga, aliás 'Otoniel', chefe máximo do Clã do Golfo", anunciou o alto conselheiro presidencial, Emilio Archila, em mensagem no Twitter.

A queda do líder da maior quadrilha de traficantes da Colômbia representa o maior golpe que o governo do presidente conservador Iván Duque desfere no crime organizado.

Úsuga, de 50 anos, lidera um grupo armado que se autodenomina Autodefesas Gaitanistas da Colômbia (AGC), presente em quase 300 municípios do país, segundo o centro de estudos independente Indepaz.

O narcotraficante foi capturado em Necoclí, um dos principais redutos das AGC, também conhecidas como Clã do Golfo, perto da fronteira com o Panamá.

A organização foi dizimada por uma série de investidas das autoridades contra o círculo próximo do líder da organização, que se escondia dormindo na selva e descartando o uso de telefones celulares, segundo a polícia. 

Perseguição feroz 

Em 2017, Otoniel tinha anunciado a intenção de chegar a um acordo para se apresentar à justiça, mas o governo respondeu com uma perseguição feroz, da qual participaram pelo menos 1.000 militares.

A organização foi dizimada em uma série de investidas das autoridades contra o círculo próximo do líder do narcotráfico, que se escondida dormindo na selva e descartando o uso de telefones, segundo a polícia.

'Otoniel' passou a chefiar o Clã do Golfo após a morte de seu irmão, Juan de Dios, aliás 'Giovanni', em confrontos com a polícia em 2012. Ele combateu junto ao Exército Popular de Libertação, uma guerrilha marxista desmobilizada em 1991.

Voltou a combater junto a grupos paramilitares de extrema direita, que semearam terror nos anos 1990 com massacres e atrocidades cometidas em sua luta contra as guerrilhas de extrema esquerda. Muitos destes grupos de autodefesa se desmobilizaram em 2006 por iniciativa do governo de Álvaro Uribe (2002-2010). Mas 'Otoniel' decidiu se manter na ilegalidade.

Após quatro décadas de luta contra o narcotráfico, a Colômbia se mantém como o principal produtor mundial de cocaína e os Estados Unidos, como o maior consumidor da droga.


publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895