Guatemala recupera na Bélgica peça maia de mais de 1.000 anos

Guatemala recupera na Bélgica peça maia de mais de 1.000 anos

Máscara arqueológica maia de jade, que data de 600 a 900 DC, havia sido rouabda

AFP

publicidade

A Guatemala recuperou nesta segunda-feira na Bélgica uma máscara arqueológica maia de jade que data de 600 a 900 DC e que havia sido roubada, informou a chancelaria do país centro-americano. "A peça, feita de mosaicos de jade, foi roubada ilegalmente da Guatemala por traficantes internacionais", disse o Ministério das Relações Exteriores da Guatemala em um comunicado.

A autenticidade da obra pré-hispânica foi atestada por Serge Purini, especialista do Museu Real de Arte e História da Bélgica, explicou a nota.

O embaixador da Guatemala na Bélgica, José Alberto Briz, foi quem recebeu a máscara de jade de Serge Lemaitre, curador da coleção das Américas. "A máscara foi confiscada em Bruxelas, na Bélgica, em 24 de outubro de 2008, após doze anos de litígio, o tribunal belga responsável pelo caso decidiu devolver a máscara à Guatemala", afirma.

Ele qualificou a peça como "inestimável" e disse que ela "voltará a fazer parte do patrimônio milenar" da Guatemala. Segundo o embaixador, a obra representa Chac, o deus maia da chuva, do trovão e dos pontos cardeais, considerado um dos mais importantes e influentes do povo maia.

A cultura maia teve seu maior esplendor no chamado período clássico (250-900 dC), até que entrou em declínio no período pós-clássico (900-1200 dC) e abrangeu a área mesoamericana que inclui o sul México, Guatemala, El Salvador, Honduras e Belize.


publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895