Guia supremo do Irã clama "vingança" após morte de Soleimani

Guia supremo do Irã clama "vingança" após morte de Soleimani

Primeiro-ministro do Iraque afirmou que ataque americano irá desencadear guerra devastadora

AFP

Aiatolá Ali Khamenei pediu vingança após morte de general iraniano

publicidade

O guia supremo do Irã, o aiatolá Ali Khamenei, se comprometeu nesta sexta-feira a "vingar" a morte do importante general iraniano Qasem Soleimani, que faleceu em um bombardeio americano em Bagdá, e decretou três dias de luto nacional no país.

"O martírio é a recompensa por seu trabalho incansável durante todos estes anos (...) Se Deus quiser, sua obra e seu caminho não vão parar aqui e uma vingança implacável espera os criminosos que encheram as mãos com seu sangue e a de outros mártires", afirmou o aiatolá Khamenei em sua conta no Twitter em farsi.

O presidente iraniano, Hassan Rohani, também prometeu vingança após a morte do general Soleiman. "Não há nenhuma dúvida sobre o fato de que a grande nação do Irã e as outras nações livres da região se vingarão por este horrível crime dos Estados Unidos", declarou Rohani em um comunicado.

Guerra devastadora 

O primeiro-ministro do Iraque, Adel Abdel Mahdi, afirmou nesta sexta-feira que o ataque americano que matou Soleimani e o líder paramilitar iraquiano Abu Mehdi Al Muhandisva vai "desencadear uma guerra devastadora no Iraque". "O assassinato de um comandante militar iraquiano que ocupava um posto oficial é uma agressão contra o Iraque, seu Estado, seu governo e seu povo", afirmou Mahdi em um comunicado. Abu Mehdi Al Muhandis era o número dois da Hashd Al Shaabi, uma coalizão de paramilitares pró-Irã integrada ao Estado.


publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895