Há 327 denúncias de violação aos direitos das crianças na crise do Chile
capa

Há 327 denúncias de violação aos direitos das crianças na crise do Chile

Defensoria da Infância registrou 22 mortes e mais de 200 feridos com lesões oculares graves e cegueira

Por
AFP

Defensoria da Infância registrou 22 mortes e mais de 200 feridos com lesões oculares graves e cegueira

publicidade

A Defensoria da Infância do Chile informou nesta quarta-feira de 327 denúncias recebidas por vulnerações aos direitos humanos de crianças e adolescentes infringidas por agentes do Estado, em meio à crise social que afeta o país há mais de um mês. Com 22 mortos e milhares de feridos - mais de 200 deles com lesões oculares graves e cegueira - na maior revolta registrada no país desde o retorno à democracia (1990), nos últimos dias vários informes nacionais e internacionais alertaram sobre a violação de direitos humanos por parte de agentes do Estado.

"Até 15 de novembro a Defensoria da Infância havia recebido 327 denúncias por vulnerações aos direitos fundamentais de crianças e adolescentes em razão da crise", disse em coletiva de imprensa Patricia Muñoz, representante da instituição. Muñoz criticou a atuação da Polícia e alertou que "há muitas crianças feridas em contexto de cotidiano, como ter saído para comprar o pão com sua mãe (...) Estamos falando de crianças que sequer estavam participando de manifestações, o que torna ainda mais grave o comportamento policial", acrescentou.

A defensora pública considerou inadmissível a ação policial e apontou que empreenderá ações judiciais em casos nos quais ainda não se tenha feito por outro organismo.