Incêndios na Bolívia já consumiram 2 milhões de hectares
capa

Incêndios na Bolívia já consumiram 2 milhões de hectares

Dos 2 milhões de hectares, cerca de 900 mil estão em áreas protegidas

Por
AFP

Floresta queima desde agosto

publicidade

Os incêndios registrados desde agosto na Bolívia já arrasaram 2 milhões de hectares de bosques e pastos, incluindo áreas protegidas, informou nesta segunda-feira o governo de Santa Cruz, enquanto o ministério da Defesa denunciava queimadas deliberadas e sabotagem. A secretária do Meio Ambiente de Santa Cruz, Cinthia Asín, informou em entrevista coletiva a nova extensão dos incêndios e pediu ao poder executivo que declare desastre nacional para ampliar as ações contra os incêndios e obter mais ajuda internacional.

"Já temos mais de 2 milhões de hectares de queimadas no departamento de Santa Cruz em quase um mês e ainda não foi declarado desastre nacional no país", destacou a funcionária. Do total de 2 milhões de hectares consumidos, cerca de 900 mil estão em áreas protegidas, e as zonas mais afetadas estão em Otuquis e San Matías, no leste da Bolívia, ricas em flora e fauna.

Os ambientalistas culpam leis promulgadas pelo governo de Evo Morales que incentivam as queimadas para se ampliar a fronteira agrícola. Já o governo nacional atribui o fenômeno ao clima seco e aos ventos.

O ministro de Defensa, Javier Zavaleta, um dos integrantes do gabinete de emergência, assinalou que o governo tem mobilizado esforços para apagar os incêndios, mas verificou nos últimos dias que muitos incêndios são intencionais. "Temos certeza de que o fogo está sendo provocado de forma deliberada: por um lado por sabotadores, e do outro, por agricultores e fazendeiros que perdem o seu controle".

O ministro declarou que "este é um jogo macabro, apagamos o fogo e há pessoas nas nossas costas que o iniciam novamente...". O governo de Santa Cruz informou que nos primeiros nove dias de setembro foram registrados 2.421 novos focos de incêndio nesta região.