Informações contraditórias sobre vítimas após tiroteio contra manifestantes na Nigéria

Informações contraditórias sobre vítimas após tiroteio contra manifestantes na Nigéria

Governados de Lagos fez publicação em suas redes sociais dizendo que não houve mortes, mas em seguida apagou

AFP

Manifestantes protestavam contra o toque de recolher em Lagos

publicidade

O governador do estado de Lagos, Babajide Sanwo-Olu, reconheceu no Twitter que uma pessoa morreu no tiroteio contra manifestantes pacíficos que desafiaram o toque de recolher na terça-feira à noite em Lagos, capital econômica da Nigéria. Sanwo-Olu havia escrito um pouco antes na rede social que "não houve mortes, ao contrário do que dizem as redes sociais", mas apagou a mensagem pouco depois.

Uma pessoa morreu em um dos hospitais para os quais foram levados os 25 feridos após o tiroteio. "Chegam informações do hospital de Reddington que confirmam que uma pessoa morreu por um traumatismo na cabeça", afirmou o governador, antes de destacar que este é um "caso isolado".

Sanwo-Olu anunciou a abertura de uma investigação sobre sobre a atuação de "elementos do exército nigeriano mobilizados no pedágio de Lekki", ponto em que aconteceu o tiroteio. A Anistia Internacional afirmou que vários manifestantes faleceram no ataque e que estava tentando confirmar o número de vítimas fatais.

Veja Também


publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895