Iota deixa 11 novos mortos em Honduras e Nicarágua; total sobe para 25

Iota deixa 11 novos mortos em Honduras e Nicarágua; total sobe para 25

Vítimas morreram soterradas em deslizamentos nos dois países

AFP

Outras vítimas na passagem de Iota foram registradas em Panamá, El Salvador e no arquipélago de San Andrés

publicidade

Seis pessoas morreram em um deslizamento e em inundações na Nicarágua e outras cinco, soterradas em casa em outro deslizamento em Honduras, elevando a 25 o total de mortos na violenta passagem do ciclone Iota pela América Central, informaram as autoridades nesta quarta-feira.

As vítimas em Honduras morreram nesta quarta soterradas em uma residência na aldeia El Trapiche (noroeste), no deslizamento causado pelas chuvas provocadas por Iota, informou o corpo de bombeiros. Na Nicarágua, foram localizados três corpos em um deslizamento no departamento de Matagalpa (norte) e outras três pessoas morreram em inundações no departamento de Carazo (oeste), informou a vice-presidente Rosaro Murillo.

Desta forma, sobem para 16 os mortos na Nicarágua, o país mais castigado pelo Iota. "Infelizmente, já contabilizamos 16 pessoas falecidas", disse Murillo em sua fala diária a meios de comunicação oficiais.

Veja Também

Os cinco mortos no deslizamento em Honduras são as primeiras vítimas neste país na passagem do poderoso ciclone que tocou o solo no Caribe nicaraguense na segunda-feira e se dissipou nesta quarta sobre El Salvador. "Morreram cinco membros da mesma família, três crianças e dois adultos, em um deslizamento que caiu sobre uma casa", em El Trapiche, em Honduras, disse o tenente Abdul Orellana, do corpo de bombeiros local. 

As outras vítimas na passagem de Iota foram registradas em Panamá, El Salvador e no arquipélago colombiano de San Andrés, Providência e Santa Catalina.


publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895