Irã contabiliza 70 mil casos e 4,3 mil mortos por coronavírus

Irã contabiliza 70 mil casos e 4,3 mil mortos por coronavírus

Autoridades de saúde documentaram 125 novas mortes pela Covid-19 nas últimas 24 horas

AFP

No total, o Irã realizou 251.703 testes para a doença, declarou Jahanpour

publicidade

O novo coronavírus matou 4.357 pessoas no Irã de um total de 70.029 infectadas desde o início da epidemia, de acordo com o último relatório oficial publicado neste sábado por Teerã. As autoridades de saúde documentaram 125 novas mortes pela doença Covid-19 nas últimas 24 horas, disse Kianouche Jahanpour, porta-voz do Ministério da Saúde, em seu briefing diário à imprensa.

Ao mesmo tempo, 1.837 novos casos de contaminação foram confirmados, informou Jahanpour. Isso reflete uma diminuição no número de novas infecções em comparação com o aumento anunciado no dia anterior (em 1.972 casos) após nove dias consecutivos de declínio nesse indicador.

No total, o Irã realizou 251.703 testes para a doença, declarou Jahanpour. Segundo dados do ministério - que alguns no exterior consideram subestimados - 41.947 pacientes hospitalizados se recuperaram da doença Covid-19, mas outros 3.987 estão em estado crítico.

Embora apenas estabelecimentos comerciais essenciais sejam autorizados a continuar funcionando há várias semanas, as autoridades iranianas decidiram permitir a retomada, a partir deste sábado, de atividades econômicas de "baixo risco" para a propagação do vírus.

Esta medida, destinada a limitar os danos a uma economia iraniana já ferida pelo restabelecimento das sanções americanas contra a República Islâmica decididas em 2018, aplica-se a todas as províncias, exceto a de Teerã, onde deve começar a ser aplicada a partir de 18 de abril.

No entanto, as autoridades continuam pedindo à população que fique em casa "o máximo possível" e monitora o cumprimento das regras de distanciamento social, levantando questões entre a população. "As pessoas estão desorientadas, não sabem mais o que fazer. Não é uma contenção completa nem uma recuperação real" da atividade, disse à AFP Réza Mirabizadeh, engenheira de computação contatada por telefone em Isfahan (centro), terceira cidade do país.

Como parte das medidas tomadas para conter o vírus, escolas, universidades, mesquitas, santuários xiitas, cinemas, locais culturais, estádios e outros locais de encontro permanecem fechados.


publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895