Johnson promete nova proposta sobre Brexit em breve

Johnson promete nova proposta sobre Brexit em breve

Declaração foi dada menos de um mês antes de data prevista para saída

AFP

Primeiro-ministro não deu detalhes de proposta que estaria elaborando

publicidade

O primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, prometeu nesta terça-feira apresentar em breve novas propostas a Bruxelas sobre o Brexit, mas sem revelar detalhes sobre as medidas. "Vamos fazer uma oferta muito boa, vamos apresentar formalmente muito em breve", declarou Johnson em Manchester, onde acontece o congresso anual do Partido Conservador, à rádio BBC, a apenas um mês da data prevista para a saída da União Europeia.

Diversas versões das propostas britânicas para manter aberta a fronteira terrestre entre a província britânica da Irlanda do Norte e a República da Irlanda, país membro da UE, vazaram à imprensa. Este ponto, que busca preservar o frágil acordo de paz da Sexta-Feira Santa que em 1998 acabou com três décadas do violento conflito na Irlanda do Norte, é o mais conturbado no acordo de divórcio negociado pela ex-primeira-ministra Theresa May e que Johnson tenta modificar com a esperança de obter a aprovação do Parlamento.

Segundo uma das versões, o governo contempla fazer os controles alfandegários a vários quilômetros da fronteira. Uma ideia que o vice-primeiro-ministro irlandês, Simon Coveney, rejeitou de modo imediato. Ele pediu a Londres que apresente uma "oferta séria". Johnson declarou à BBC que o que foi publicado pela imprensa "não é exato" e negou que seu plano inclua "centros alfandegários descentralizados".

Sem apresentar detalhes, o primeiro-ministro explicou que sua proposta prevê "um território único para a agricultura, as indústrias agroalimentares, sanitárias e fitossanitárias, o que constitui uma concessão importante do governo britânico".

Britânicos e europeus intensificaram os contatos nas últimas semanas, mas Bruxelas afirma não ter recebido até o momento propostas escritas que possam resultar em um acordo.

Johnson reiterou nesta terça-feira sua determinação de concretizar o Brexit em 31 de outubro, após os dois adiamentos prévios, apesar do Parlamento britânico ter aprovado uma lei que determina um novo pedido de prorrogação se o governo não alcançar um acordo com UE depois da reunião de cúpula europeia dos dias 17 e 18.

Um eventual novo acordo ainda precisa ser aprovado pelos deputados, que rejeitaram três vezes o Tratado de Retirada assinado por May com Bruxelas.


publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895