Juíza dos EUA suspende proibição de baixar WeChat

Juíza dos EUA suspende proibição de baixar WeChat

Medida entraria em vigor neste domingo

AFP

Funções do aplicativo seriam desativadas no país a partir de hoje

publicidade

A juíza Laura Beeler, da Califórnia, suspendeu a proibição emitida pelo Departamento de Comércio, em nome da segurança nacional, de se baixar o aplicativo WeChat nos Estados Unidos. A medida entraria em vigor neste domingo e, com ela, seriam desativadas no país as funções desse aplicativo criado pela gigante chinesa Tencent.

Nos EUA, o app WeChat é usado por cerca de 19 milhões de pessoas para trocar mensagens, fazer compras, pagamentos e outros serviços. Um grupo de usuários havia questionado a medida na Justiça.

De acordo com a decisão da juíza, consultada pela AFP, os demandantes demonstraram que a decisão do Departamento de Comércio levantava "sérias questões" sobre o respeito à Primeira Emenda da Constituição dos Estados Unidos, que garante a liberdade de expressão.

A proibição de download do WeChat, anunciada na sexta-feira, também incluía o popular aplicativo de vídeo curto TikTok.

Ontem, porém, a aplicação da medida referente ao TikTok foi adiada para 27 de setembro, depois de um anúncio de acordo sobre a gestão das atividades do aplicativo nos Estados Unidos com a Oracle e com o Walmart. A negociação recebeu o aval do governo Donald Trump.

Na sexta-feira, como justificativa para sua decisão, o Departamento de Comércio alegou que "o Partido Comunista Chinês demonstrou que tinha os meios e a intenção de usar esses aplicativos para ameaçar a segurança nacional, a política externa e a economia dos Estados Unidos".


publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895