Julgamento contra o ex-presidente do Sudão é adiado para 22 de setembro

Julgamento contra o ex-presidente do Sudão é adiado para 22 de setembro

Omar al-Bashir e outras 27 pessoas são acusadas de terem chegado ao poder por meio de um gole de Estado

AFP

Omar al-Bashir e outras 27 pessoas são acusadas de terem chegado ao poder por meio de um gole de Estado

publicidade

O julgamento do ex-presidente sudanês Omar al-Bashir e de outras 27 pessoas acusadas de terem chegado ao poder por um golpe de Estado em 1989 foi adiado novamente, desta vez para 22 de setembro, anunciou o presidente do tribunal.

"A próxima audiência será na próxima terça-feira, 22 de setembro", disse o juiz do tribunal de Cartum, acrescentando que a audiência em curso era apenas processual, à espera de encontrar um local mais adequado para as medidas sanitárias contra o coronavírus. O início do processo foi adiado em várias ocasiões desde o final de julho.

Esse processo não tem precedentes no mundo árabe, onde o autor de um golpe de Estado nunca havia sentado no banco dos réus na história recente. Com 76 anos, Al-Bashir foi destituído pelo Exército em abril de 2019, após meses de protestos da população.

Ele compareceu ao tribunal, assim como os outros acusados, entre os quais estão seus ex-vice-presidentes Ali Osman Taha e o general Bakri Hasan Saleh.

O presidente deposto e vários acusados podem ser condenados à pena de morte por derrubarem o governo democraticamente eleito do primeiro-ministro Sadek al-Mahdi há 31 anos, no terceiro golpe de Estado desde a independência do Sudão em 1956.


publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895