Kamala Harris retira pré-candidatura à presidência dos EUA pelo Partido Democrata
capa

Kamala Harris retira pré-candidatura à presidência dos EUA pelo Partido Democrata

Senadora disse que continuará lutando por Justiça para o povo

Por
Correio do Povo

Foram onze meses de campanha desta candidata progressista

publicidade

A senadora Kamala Harris anunciou nesta terça-feira sua saída da corrida pela nomeação do Partido Democrata à presidência dos Estados Unidos. "Para vocês, meus apoiadores, é com profundo pesar - mas também com profunda gratidão - que estou suspendendo minha campanha hoje", escreveu a progressita em um texto na plataforma Medium. "Mas quero ser clara com vocês: ainda estou muito nessa luta. E continuarei lutando todos os dias pelo que essa campanha tem sido. Justiça para o povo. Todas as pessoas", completou.

Apesar da medida, ela enfatizou que "embora não esteja mais concorrendo à presidência, farei tudo ao meu alcance para derrotar Donald Trump e lutar pelo futuro de nosso país e pelo melhor de quem somos". "Vamos continuar lutando pela América em que acreditamos, uma América livre de injustiça. Uma América que sabemos que pode ser aliviada pelo que foi", disse a ex-candidata, uma vez cotada como uma das favoritas para enfrentar o presidente republicano nas eleições do próximo ano.

A ex-procuradora geral da Califórnia, de 55 anos, criou confusão, oscilando entre posições políticas. Ainda assim, suas habilidades afiadas de debate e personalidade afável fizeram dela uma candidata de primeira linha, pouco tempo depois de seu primeiro mandato no Senado. Pesquisa do Politico/Morning Consult desta terça, ela aparecia en quarto lugar, com 5% das intenções de voto. O ex-vice-presidente durante a gestão de Barack Obama, Joe Biden, aparece em primeiro, com 29%.

A notícia foi um choque para alguns de seus maiores apoiadores. No momento em que Harris anunciava as notícias internamente, um superpacote de um milhão e dólares em anúncios de TV em Iowa para impulsionar sua campanha em dificuldades. "Onze meses atrás, no lançamento de nossa campanha em Oakland, eu disse a todos: 'Eu não sou perfeita.' Mas sempre falarei com decência e clareza moral e tratarei todas as pessoas com dignidade e respeito. Eu liderarei com integridade. Eu vou falar a verdade. E foi isso que tentei fazer todos os dias desta campanha. Então, aqui está a verdade hoje", escreveu na nota aos apoiadores.

"Nossa campanha tem sido sobre lutar por pessoas cujas vozes não foram ouvidas ou frequentemente ignoradas. Vamos continuar essa luta.
Lembremos: fomos os primeiros a colocar a injustiça do pagamento inadequado de professores na agenda nacional. Vamos continuar essa luta. Fomos os primeiros a exigir justiça para nossos filhos, declarando que tomaríamos ações executivas ousadas para impedir a violência armada. Vamos continuar essa luta. Fomos os primeiros a exigir justiça para as mulheres com um plano para bloquear leis inconstitucionais de aborto estatal. Vamos continuar essa luta", continuou no texto.

A senadora disse ser extremamente grata às centenas de funcionários que "se mudaram e arrancaram suas vidas e sacrificaram o tempo longe de suas famílias". "Eu sei que a nossa luta foi pessoal para cada um deles. Claro, eu não poderia ter feito isso sem meu marido Doug e toda a minha família e amigos que desistiram de tanto para embarcar nessa jornada comigo e me apoiaram em todas as etapas do caminho", afirmou. "Sou grata aos milhares de voluntários e colaboradores que entraram, que bateram nas portas, que fizeram ligações e que depositaram sua fé e confiança em mim. Foi uma honra da minha vida ser sua candita".