Kim pede a Putin trabalho conjunto pela desnuclearização da Coreia do Norte
capa

Kim pede a Putin trabalho conjunto pela desnuclearização da Coreia do Norte

Primeira cúpula entre os dois líderes ocorre após encontro fracassado com Trump

Por
Agência Brasil e AFP

Kim busca apoio russo para reduzir sanções por programa nuclear

publicidade

O líder da Coreia do Norte, Kim Jong-un, pediu nesta quinta-feira ao presidente russo, Vladimir Putin, para trabalharem em conjunto de forma a resolver o problema da desnuclearização da península coreana. "A situação na península coreana é de grande interesse para toda a comunidade internacional, espero que a nossas conversas sejam um evento importante para avaliar essa situação juntos, trocar opiniões sobre a situação e como resolver esse problema juntos", disse Kim, acompanhado de Putin, no dia em que teve início a primeira cimeira entre os dois líderes, na cidade portuária russa de Vladivostok.

O encontro ocorre após o fracasso do encontro entre Kim e o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, em Hanói, em fevereiro. Após encontro acabar sem acordo, o líder norte-coreano já se reuniu quatro vezes com o presidente chinês, Xi Jinping, três vezes com o presidente sul-coreano, Moon Jae-in, e uma vez com o presidente do Vietnã, Nguyen Phu Trong, desde março de 2018.

Putin e Kim disseram que confiam que a reunião irá contribuir para o processo de desnuclearização da península coreana e a normalização das relações entre Pyongyang e Seul. O presidente russo afirmou que a Coreia do Norte precisa de garantias sobre sua segurança e que a desnuclearização só poderá acontecer com base no direito internacional. 

A Coreia do Norte precisa de "garantias sobre sua segurança, a preservação de sua soberania", disse Putin após uma reunião com o líder norte-coreano Kim Jong Un em Vladivostok. "Precisamos restaurar o poder do direito internacional, voltar ao estado em que o direito internacional, e não a lei do mais forte, determina a situação no mundo", completou. O país já pediu o alívio das sanções internacionais contra a Coreia do Norte, enquanto o governo dos Estados Unidos acusa Moscou de tentar ajudar Pyongyang a evitar algumas medidas.