Kremlin descarta acusar Estado russo por envenenamento de Navalny

Kremlin descarta acusar Estado russo por envenenamento de Navalny

Porta-voz de Vladimir Putin pediu ao mundo ocidental que evite "julgamentos precipitados"e afirmou que "de modo geral, não acho que envenenar essa pessoa possa beneficiar alguém"

AFP e Correio do Povo

Dmitry Peskov observou que Moscou gostaria de manter o diálogo sobre o assunto com a Alemanha

publicidade

O Kremlin de Moscou afirmou nesta quinta-feira que não vê motivos para acusar o Estado de envenenar o líder da oposição Alexei Navalny e pediu ao mundo ocidental que evite "julgamentos precipitados". "Eu escolheria as palavras com cuidado ao falar sobre acusações contra o Estado russo, porque não há acusações no momento e não há razão para acusar o Estado russo", disse o porta-voz Dmitry Peskov, à imprensa, acrescentando que o governo está aberto ao "diálogo" com a Alemanha, onde Navalny se encontra em tratamento, assim como com todos os países europeus.

Peskov insistiu no fato de que "nenhuma substância tóxica" foi detectada pelos médicos russos quando Navalny foi internado em um hospital siberiano no final de agosto, após passar mal em um avião. "Até agora não recebemos nenhuma informação da Alemanha sobre análises que levaram à conclusão de seu envenenamento. De modo geral, não acho que envenenar essa pessoa possa beneficiar alguém", afirmou.

"Gostaríamos que nossos parceiros na Alemanha e em outros países europeus não fizessem julgamentos precipitados", acrescentou ele. O porta-voz do também não viu "qualquer razão" para sanções contra a Rússia neste assunto.

Na quarta-feira, a chanceler alemã, Angela Merkel, pediu a Moscou que se explicasse, depois que análises mostraram que Navalny foi envenenado por um agente nervoso do tipo "Novichok". Em 2018, o Kremlin já havia sido considerado responsável pela tentativa de assassinato do ex-agente duplo Sergei Skripal, em Salisbury, no sudoeste da Inglaterra, por meio da mesma substância.

O anúncio fez com que o rublo despencasse para seu nível mais baixo desde o auge da epidemia de coronavírus na Rússia na primavera e, na manhã de hoje, ele era negociado a 89 rublos por euro e 75,4 rublos por dólar. Em um ponto na quarta-feira, caiu para 89,8 rublos por euro, seu nível mais baixo desde 2016. A moeda já perdeu 20% de seu valor em relação ao euro e ao dólar desde o início do ano por causa da pandemia do coronavírus e da queda do preço do petróleo. A bolsa de valores RTS de Moscou também caiu mais de 3% após o anúncio alemão, e na manhã de quinta-feira não havia recuperado suas perdas.


publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895