Maduro pede que Brasil entregue militares venezuelanos acusados de assalto
capa

Maduro pede que Brasil entregue militares venezuelanos acusados de assalto

Governo considera grupo responsável por ataque à destacamento da Força Armada

Por
AFP

Militares venezuelanos foram localizados em reserva indígena em Roraima

publicidade

A Venezuela iniciou procedimentos para pedir que o Brasil entregue cinco militares venezuelanos localizados na fronteira, a quem vinculou com um assalto a um destacamento da Força Armada. A informação é do ministro das Relações Exteriores, Jorge Arreaza, neste sábado.

O governo de Nicolás Maduro começou a "ativar os procedimentos diplomáticos necessários para solicitar e facilitar a entrega deste grupo de cidadãos (...) para prestar contas", afirmou um comunicado. O documento considera "os cinco defensores do Exército" como "responsáveis materiais" pelo ataque ocorrido no domingo passado em uma unidade militar no estado de mineração de Bolívar (sul da Venezuela), no qual um homem uniformizado foi morto e rifles de assalto e um lançador de foguetes foi roubado. Seis soldados foram presos.

Maduro culpou os opositores treinados em "campos paramilitares" na Colômbia, apoiados por autoridades brasileiras e peruanas", acusações que esses países negam. Na sexta-feira, o governo brasileiro confirmou que cinco militares venezuelanos foram localizados no dia anterior em uma reserva indígena, em São Marcos, um vasto território no norte do estado de Roraima (norte).

"Eles estavam desarmados e foram levados para Boa Vista (capital do estado), onde estão sendo entrevistados", disse uma declaração conjunta dos Ministérios das Relações Exteriores e da Defesa.

Brasil, Colômbia e Peru fazem parte dos 50 países que reconhecem o líder da oposição Juan Guaidó, chefe do Parlamento, como presidente interino da Venezuela.