Mais de 200 milhões de doses de vacinas anticovid são aplicadas no mundo

Mais de 200 milhões de doses de vacinas anticovid são aplicadas no mundo

Países do bloco anunciaram que vão dobrar o apoio à vacinação, com um investimento de 7,5 bilhões de dólares

AFP

Grupo dos sete países ricos e democráticos responde por apenas 10% da população mundial

publicidade

Mais de 200 milhões de doses de vacinas contra o coronavírus foram administradas em pelo menos 107 países e territórios - aponta balanço da AFP, com base em fontes oficiais. Cerca de 45% das doses foram injetadas nos países do G7 (Estados Unidos, Canadá, França, Reino Unido, Alemanha, Itália e Japão), cujos membros se comprometeram, em reunião na sexta-feira, a favorecer uma distribuição mais justa das vacinas.

Este grupo de sete países ricos e democráticos responde por apenas 10% da população mundial. Esse número de vacinas administradas é inferior ao real, já que dois países importantes, Rússia e China, não comunicam seus balanços oficiais há dez dias.

Na sexta-feira, os países do G7 anunciaram que vão dobrar o apoio à vacinação contra o coronavírus, que chegará a 7,5 bilhões de dólares, principalmente por meio do programa Covax, administrado pela Organização Mundial da Saúde (OMS). O objetivo é levar doses suficientes de vacinas para países com menos recursos.

Veja Também

Neste momento, porém, nove em cada dez vacinas são injetadas em países com recursos altos, ou de médio a alto, de acordo com a classificação do Banco Mundial. Esses países representam 53% da população mundial.

Israel é, de longe, o país mais avançado em vacinação, já que 49% de sua população recebeu pelo menos uma dose da vacina. Neste momento, um em cada três habitantes em Israel (33%) recebeu as duas doses necessárias. Outros países superaram os 10% de população vacinada. São eles: Reino Unido (25%), Bahrein (16%), Estados Unidos (13%), Chile (12%) e Maldivas (12%).

Em termos numéricos, os Estados Unidos são o país que aplicou o maior número de vacinas (59,6 milhões de doses), à frente de China (40,5 milhões até 9 de fevereiro), Reino Unido (17,5 milhões), Índia (10,7 milhões) e Israel (7,1 milhões).


publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895