Marinha indonésia busca submarino desaparecido com 53 a bordo

Marinha indonésia busca submarino desaparecido com 53 a bordo

Contato foi perdido em frente à costa de Bali

AFP

Imagem de 2017 mostra o submarino "KRI Nanggala 402"

publicidade

A Marinha indonésia iniciou nesta quarta-feira (21) a busca de um submarino com 53 pessoas a bordo com o qual perdeu contato em frente à costa de Bali. Na região onde se detectou o último sinal enviado pelo submersível foi detectada uma mancha de petróleo, anunciou esta noite o ministério da Defesa.

"Por volta das 07H00 da manhã, o monitoramento realizado por um helicóptero descobriu um derramamento de petróleo na posição onde o submarino desapareceu", afirmou em um comunicado.

O submarino, denominado "KRI Nanggala 402", participaria de manobras que incluíam o lançamento de torpedos. A embarcação pediu autorização para submergir na madrugada desta quarta-feira, por volta das 03h locais (16h de Brasília).

"Após a transmissão da autorização, o submarino perdeu o contato e não pôde ser contatado", informou o ministério. Jacarta enviou navios de guerra para o local e pediu ajuda a Singapura, Austrália e Índia.

O submarino poderia estar a 700 metros de profundidade, ao norte da ilha de Bali, declarou à AFP o comandante das forças armadas indonésias Hadi Tjahjanto, detalhando que levava 53 tripulantes a bordo. A Marinha indonésia tem uma frota de cinco submarinos, construídos na Alemanha e na Coreia do Sul.

O "KRI Nanggala 402" foi lançado na Alemanha em 1978, segundo um site oficial, e posteriormente foi submetido a modificações para modernizá-lo. É um submarino de propulsão a diesel. Até agora, a Indonésia não havia registrado incidentes graves relacionados com submarinos, mas outros países tiveram tragédias do tipo.

Uma das mais conhecidas ocorreu no ano 2000, quando o submarino de propulsão nuclear russo "Kursk" afundo enquanto fazia manobras no Mar de Barents com 118 tripulantes a bordo. Em 2017, o submarino argentino "San Juan", com 44 tripulantes a bordo, desapareceu a cerca de 400 km da costa argentina.


publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895