Mesmo com obras paradas, Macron garante reconstrução de Notre-Dame em cinco anos

Mesmo com obras paradas, Macron garante reconstrução de Notre-Dame em cinco anos

Presidente francês disse que fará todo o possível para que possamos cumprir este prazo

AFP e Correio do Povo

Símbolo religioso se encontra no coração de Paris

publicidade

O presidente da França, Emmanuel Macron, disse nesta quarta-feira que fará "todo" o possível para reconstruir a Catedral de Notre-Dame em até cinco anos, conforme prometido após o incêndio que destruiu parcialmente o monumento parisiense há um ano. "Reconstruiremos Notre-Dame em cinco anos. Eu prometi. Faremos todo o possível para que possamos cumprir este prazo", defendeu o chefe do Palácio do Eliseu em um vídeo publicado na página on-line da Presidência pelo primeiro aniversário da tragédia.

Em sua mensagem, Macron agradeceu mais uma vez "a todos os que, ontem, salvaram a Catedral, e a todos os que, hoje, a estão reconstruindo". "Temos de estabelecer metas ambiciosas, nos mobilizarmos para alcançá-los e estar à altura das grandes construções que fizeram nossa história", completou.

Os sinos da catedral vão soar hoje, às 20h locais, em memória do incêndio dessa joia da arquitetura gótica que comoveu o mundo há exatamente um ano. O ato ocorrerá simultaneamente "em união com os aplausos dos franceses" pelos cuidadores que estão lutando contra epidemia de Covid-19.

Pandemia não muda o calendário

As obras estão paralisadas desde 16 de março, devido à crise do coronavírus. Coforme o general Jean-Louis Georgelin, presidente do estabelecimento público de restauração de Notre-Dame, o local não sofrerá com a interrupção dos serviços. Na verdade, a fase de restauração ainda não começou, embora a catedral continue representando, para o governo, um ano depois do incêndio, uma "emergência absoluta".

"Tudo está parado, mas temos uma dúzia de pessoas que garantem a segurança. Quanto ao calendário, apesar da pandemia, poderemos arregaçar as mangas para cumprir nosso compromisso de 2024. A dificuldade é que não sabemos a duração do confinamento. Mas se for em torno de um ou dois meses, pretendo me atualizar", afirmou Georgelin aojornal Le Parisien, que estima que 21% das doações para a reconstrução já foram coletadas

O militar também falou que há razões para ser otimistas. "Durante um ano, os sensores colocados nos pilares, no cofre... registram seus menores movimentos e não notamos nada de extraordinário. Não tivemos que lamentar nenhuma queda de pedra, além de quatro ou cinco. E as duas torres são sólidas. Portanto, mesmo se formos cuidadosos, temos motivos para ser otimistas", explicou. Contudo, pontuou que enquanto o desmantelamento do andaime nem a inspeção do cofre ocorrerem formalmente se poderá dizer que a catedral está completamente salva.

Projeto arquitetônico do novo telhado

O presidente do estabelecimento público de restauração de Notre-Dame, respondendendo sobre afirmou que "parece improvável que o telhado seja transformado em um jardim suspenso ou espaço de coworking", referindo-se à ideia de unir o moderno ao clássico no local. "Sobre esta importante questão arquitetônica que inspira arquitetos em todo o mundo com projetos pitorescos, às vezes excêntricos, não sou eu quem decide, mesmo que eu tenha uma opinião que não preciso expressar", disse, apontando que "tomaremos dentro de pouco tempo a decisão apropriada de restaurar a catedral à sua silhueta".

A Comissão Nacional do Patrimônio e Arquitetura (CNPA) será consultada para um parecer.  Georgelin afirmou que também tem um conselho científico ao meu redor. Por fim, o papel do presidente será decisivo na conclusão deste debate. "Existem três opções: metálico como em Chartres, concreto como em Reims, madeira como em Notre-Dame. Os estudos do arquiteto-chefe sobre o assunto provavelmente serão apresentados em julho ao CNPA. E nós veremos", afirmou. Ele ainda disse não ter a sensação de que haverá um referendo para escola, mas a decisão que será tomada levará em conta os sentimentos dos franceses.


publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895