Novo premier britânico monta equipe eurocética para concluir Brexit
capa

Novo premier britânico monta equipe eurocética para concluir Brexit

Boris Johnson está determinado a deixar UE em 31 de outubro a qualquer preço

Por
AFP

Johnson promete também consertar crise da assistência social no Reino Unido

publicidade

Boris Johnson se tornou oficialmente, nesta quarta-feira, o novo primeiro-ministro britânico e de imediato mudou praticamente todo o gabinete por uma equipe eurocética, com a promessa de deixar a UE em 31 de outubro a qualquer preço. "Vamos cumprir a promessa feita pelo Parlamento à população e deixar a UE em 31 de outubro, incondicionalmente", declarou Johnson em seu primeiro discurso diante de Downing Street, após ser recebido pela rainha Elizabeth II no Palácio de Buckingham.

Logo que assumiu o cargo, o ex-prefeito de Londres e ex-ministro das Relações Exteriores afastou do governo vários pesos pesados da equipe de sua antecessora, Theresa May, para se cercar de eurocéticos. Sajid Javid será o novo ministro das Finanças. O ex-banqueiro de origem humilde ocupará um cargo particularmente difícil em caso de uma saída sem acordo, o que poderia gerar forte turbulência econômica. Johnson escolheu Priti Patel, filhos de pais de origem indiana e ardente defensor do Brexit, para o cargo de ministro do Interior.

Outro eurocético convicto, Dominic Raab, estará à frente do ministério das Relações Exteriores, posto crucial em plena crise com o Irã, substituindo Jeremy Hunt, outro adversário na disputa pela sucessão de May dentro do Partido Conservador. No ano passado, Raab deixou o cargo de ministro negociador para a saída da União Europeia por considerar muito suave a posição do governo em relação à Bruxelas.

Já Steve Barclay continuará como ministro encarregado do Brexit e será o interlocutor das equipes de negociações com a UE.

"Custe o que custar"

Em seu discurso na porta de Downing Street, Johnson prometeu retirar o Reino Unido da UE na data marcada "custe o que custar", desmobilizando, com isso, "os incrédulos, os pessimistas e os desmancha-prazeres". Conhecido por suas gafes, sua oratória florida e brilhante, e uma vida amorosa turbulenta, este político de 55 anos foi eleito novo líder do Partido Conservador na terça-feira, sucedendo Theresa May, que renunciou por conta do fracasso para implementar o Brexit.

A "prioridade imediata" do novo líder conservador será alcançar um Brexit "aceitável para todo o Reino Unido", advertiu May durante sua entrevista de despedida, desejando "boa sorte" ao seu sucessor, que recebe um país profundamente dividido. Johnson foi um dos principais promotores da votação do Brexit no referendo de junho de 2016, no qual venceu com 52% dos votos.

O novo primeiro-ministro nomeou o cérebro da campanha do Brexit, Dominic Cummings, como conselheiro, de acordo com uma fonte de sua equipe. Ao mesmo tempo, o então ministro das Finanças, Philip Hammond, seu colega da Justiça, David Gauke, e o do Desenvolvimento Internacional, Rory Stewart, apresentaram sua demissão por divergirem da política da nova administração.

De início, sua chegada ao poder está longe de receber apoio unânime. Militantes da organização ambientalista Greenpeace bloquearam brevemente o caminho de Johnson para o Palácio de Buckingham, formando uma corrente humana na rua. Manifestantes anti-Brexit fizeram um protesto enquanto o novo primeiro-ministro discursava em Downing Street.

"Brexit ordenado"

May teve que renunciar por não conseguir uma aprovação no parlamento para o acordo de saída que tinha negociado com a União Europeia, um texto que Johnson prometeu rever, embora Bruxelas já tenha avisado que não pretende mudar nada. Mas sua promessa de deixar a União Europeia com ou sem acordo coloca-o em uma situação de colisão com deputados peso-pesados de seu próprio partido que não querem um Brexit abrupto, ameaçando assim sua escassa maioria e elevando a perspectiva de eleições gerais antecipadas.

Johnson nunca escondeu a ambição de poder, usando suas piadas e blefes para conseguir vitórias eleitorais improváveis, mas assume em um momento extremamente delicado. A libra esterlina, que durante meses se ressentiu da incerteza em relação à saída do bloco, estava em alta nesta quarta, após a mudança de governo. Três anos depois da consulta popular sobre o Brexit, o Reino Unido continua sendo membro da UE, após adiar sua partida duas vezes.

O negociador da União Europeia (UE) para o Brexit, Michel Barnier, disse que espera "trabalhar de forma construtiva" para "facilitar a ratificação do Acordo de Retirada e obter um Brexit ordenado". O grupo de trabalho da Eurocâmara sobre o Brexit advertiu Johnson sobre as "prejudiciais" consequências de uma saída sem um acordo. "Espero me reunir com você para discutir - em detalhe - nossa cooperação", afirmou o presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk, encarregado de coordenar os trabalhos dos líderes europeus durante as cúpulas em Bruxelas.

A agenda de Johnson é ainda mais complicada pelo conflito com o Irã sobre a captura de petroleiros britânicos no Golfo, em retaliação pela apreensão em Gibraltar de um petroleiro iraniano, acusado de violar as sanções europeias contra a Síria, trazendo petróleo para este país.