OPAQ analisa amostras do opositor russo Navalny para determinar se foi envenenado

OPAQ analisa amostras do opositor russo Navalny para determinar se foi envenenado

Crime ocorreu em 20 de agosto, na Sibéria

AFP

OPAQ analisa amostras do opositor russo Navalny para determinar se foi envenenado

publicidade

A Organização para a Proibição das Armas Químicas (OPAQ) confirmou nesta quinta-feira que enviou especialistas a Alemanha para obter amostras do opositor russo Alexei Navalny e analisar se ele foi envenenado com o agente Novitchok. Os resultados devem ser anunciados nos próximos dias.

Berlim, onde o principal oponente do Kremlin está hospitalizado, vítima de uma tentativa de envenenamento em 20 de agosto na Sibéria de acordo com sua equipe, solicitou oficialmente "a assistência técnica" da instituição internacional com sede em Haia, indicou a OPAQ.

Um laboratório alemão concluiu em 3 de setembro que Alexei Navalny, 44 anos, foi envenenado por uma substância do tipo Novitchok, desenvolvida para fins militares na época soviética, o que Moscou nega. Laboratórios franceses e suecos confirmaram as conclusões alemãs, o que levou Paris e e Berlim a insistir na necessidade de uma investigação russa.

"Uma equipe de especialistas da secretaria técnica retirou amostras biomédicas independentes de Navalny para análise nos laboratórios de referência da OPAQ", anunciou a instituição. "Os resultados das análises serão anunciados em breve e compartilhados com as autoridades da Alemanha.

O diretor da OPAQ, Fernando Arias, expressou no início do mês "grave preocupação" com o caso Navalny. O produto neurotóxico foi utilizado contra o ex-agente duplo russo Sergei Skripal e sua filha Yulia, em 2018 na Inglaterra.


publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895