Otan condena "envenenamento" de opositor russo e pede transparência à Rússia

Otan condena "envenenamento" de opositor russo e pede transparência à Rússia

Grupo liderado pelos EUA também pede que o país revele imediatamente qualquer informação relevante para a investigação do caso

AE

"Nós desejamos a ele uma rápida e total recuperação", diz o texto

publicidade

A Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) emitiu comunicado, no qual condena "nos termos mais fortes possíveis" o envenenamento de Alexei Navalny, uma figura da oposição russa, com o uso do agente Novichok, que segundo a aliança é proibido. "Qualquer uso de armas químicas, sob quaisquer circunstâncias, é uma clara violação da lei internacional e contrário à Convenção sobre Armadas Químicas, que proíbe o uso de todas as armas químicas", argumenta a Otan, lembrando que os russos são signatários do documento.

O grupo liderado pelos EUA diz que está unido em seu pedido a Moscou, "com urgência", por "transparência total para levar os responsáveis à justiça". Também pede que a Rússia revele imediatamente qualquer informação relevante para a investigação do caso.

A Otan ainda agradece a Alemanha por receber Navalny em um hospital em Berlim para tratamento. "Nós desejamos a ele uma rápida e total recuperação", diz o texto. O governo russo já negou publicamente qualquer relação com o episódio que envolve Navalny, um crítico do Kremlin que adoeceu no mês passado, durante um voo doméstico em seu país.


publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895