Padre que queimou livros de Harry Potter e Crepúsculo pede desculpas

Padre que queimou livros de Harry Potter e Crepúsculo pede desculpas

Sacerdote reconheceu cerimônia para incêndio público de obras como "ato infeliz"

AFP

Sacerdote disse que ato visava destruição de "objetos associados à magia e ao oculto"

publicidade

O padre polonês Rafal Jarosiewicz, responsável pela queima de livros de Harry Potter e da saga Crepúsculo (Twilight) para considerá-los sacrílegos, pediu desculpas nesta quarta-feira por essa ação que causou uma onda de críticas na Polônia. "Queimar os livros e outros objetos foi um ato infeliz", declarou o padre Rafal Jarosiewicz na página do Facebook da fundação "SMS of the Skies", que organizou a cerimônia de queima.

"Não foi uma questão de zombar de qualquer grupo social ou de qualquer religião e não visava aos livros ou à cultura. Se alguém entendesse meu ato assim, peço sinceras desculpas", escreveu o padre. Rafal Jarosiewicz e dois outros padres católicos queimaram em público no domingo em Gdansk (norte) os livros das famosas sagas Harry Potter e Crepúsculo para considerá-los sacrílegos e o episcopado polonês reconheceu os fatos.

Segundo Jan Kucharski, exorcista e sacerdote da paróquia de Nossa Senhora Mãe da Igreja em Gdansk (nordeste), "não se tratava de queimar livros, mas de objetos associados à magia e ao oculto". Além dos livros, havia objetos como amuletos e talismãs trazidos pelos fiéis.


publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895