Paraguai encerra emergência sanitária e elimina obrigatoriedade de máscaras

Paraguai encerra emergência sanitária e elimina obrigatoriedade de máscaras

Apesar da decisão, governo afirmou que continuará recomendando o uso do aparato

AFP

No país, o sistema de saúde ficou saturado pela pandemia de Covid-19

publicidade

O Paraguai encerrou, nesta segunda-feira, a emergência sanitária pela pandemia de Covid-19, em vigor desde março de 2020 e eliminou a obrigatoriedade do uso de máscarsa, apesar de menos da metade de sua população estar completamente vacinada.

A decisão baseia-se "na melhoria da situação epidemiológica que o país vive há onze semanas, com a diminuição do número de positivos (casos), pessoas falecidas e pessoas internadas em cuidados intensivos pela doença", anunciou o porta-voz do governo Guillermo Sequera em coletiva de imprensa.

Apesar de ter anulado uma lei que estabelecia a obrigatoriedade do uso da máscara, o ministro da Saúde, Julio Borba, indicou que o governo continuará a recomendá-la.

"Ainda é imprescindível em lugares fechados e em hospitais. Seu uso também é recomendado em transportes públicos e escolas", afirmou.

A lei contemplava sanções como multa, trabalho comunitário ou o fechamento de comércios em caso de não cumprimento do uso obrigatório das máscaras.

No Paraguai, o sistema de saúde ficou saturado pela pandemia de Covid-19 e muitas famílias tiveram que vender seus pertences e organizar rifas para pagar os tratamentos. Com uma população de sete milhões de pessoas, o país sul-americano registra 18.734 mortes e 648.000 casos desde que foi descoberto o primeiro caso de coronavírus, em março de 2020.

Veja Também



Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895