Partículas de urânio são detectadas em usina não declarada no Irã

Partículas de urânio são detectadas em usina não declarada no Irã

A AIEA não diz o nome do local, porém uma fonte observou que amostras foram colhidas de Turquzabad

AFP

Segundo Mohammad Javad Zarif, carta é uma "mentira desesperada"

publicidade

A Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA) detectou no Irã "partículas naturais de urânio" em um local não declarado, de acordo com um relatório consultado pela AFP nesta segunda-feira em Viena. "A Agência detectou partículas naturais de urânio de origem antropogênica em um local não declarado no Irã", afirmou o relatório. A AIEA não diz o nome desse local.

Fontes diplomáticas disseram anteriormente à AFP que a agência da ONU havia levantado questões junto a Teerã sobre um lugar que Israel disse que poderia abrigar atividades nucleares. Uma fonte observou que a AIEA havia colhido amostras daquele local no distrito de Turquzabad, em Teerã.

Os ministros de Relações Exteriores de França, Alemanha e Reino Unido e a chefe da diplomacia da União Europeia reforçaram, em um comunicado conjunto, sua preocupação. "Pedimos para o Irã se retratar de todas as medidas contrárias" ao tratado internacional sobre o tema. "Queremos preservá-lo (o acordo), mas o Irã deve retornar às suas obrigações e respeitá-las, senão nos reservamos o direito de usar todos os mecanismos incluídos" nesse documento, tinha alertado o ministro das Relações Exteriores da Alemanha, Heiko Maas, em Bruxelas antes da reunião.

Segundo um diplomata da capital austríaca, a taxa de produção de urânio no Irã aumentou consideravelmente, atingindo mais de 100 quilos por mês. Esse volume pode aumentar ainda mais nos próximos meses. O relatório também confirma que o Irã intensificou seu enriquecimento de urânio, e os estoques de urânio pouco enriquecido agora alcançam o equivalente a 551 kg. O acordo alcançado pelo Irã e pelas grandes potências em 2015 só permite armazenamento limitado a 300 kg. 

Segundo os inspetores da AIEA, o Irã está enriquecendo urânio em suas instalações em Fordo, o que constitui uma nova violação de seus compromissos. "Estamos entrando em uma fase de agravamento significativo. Vemos que a janela de oportunidade para uma escala está se fechando seriamente", disse uma fonte europeia.


publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895