Pela primeira vez, Etiópia terá uma mulher presidente

Pela primeira vez, Etiópia terá uma mulher presidente

Nomeação ocorre após reforma que estabelece que 50% dos membros do parlamento sejam do sexo feminino

Agência Brasil

Na Etiópia, o presidente da República tem valor representativo, mas não poderes executivos, como no Brasil

publicidade

A diplomata de carreira Sahle-Work Zewde, 68 anos, será a primeira mulher presidente na história da Etiópia. Ela foi eleita em uma sessão conjunta das duas câmaras do Parlamento, após a renúncia de seu antecessor, Mulatu Teshome, no poder desde 2013.  A nomeação de Zewde ocorre no momento em que o primeiro-ministro etíope, Abiy Ahmed, aprovou uma histórica reforma em seu gabinete, estabelecendo que metade dos seus membros é formada por mulheres.

Na Etiópia, o presidente da República tem valor representativo, mas não poderes executivos, como no Brasil. Sahle-Work Zewde ocupou até recentemente a função de representante especial na União Africana do secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres.

País



Até a década de 1980, a Etiópia era um dos países mais pobres do mundo, sofrendo com a fome e o intenso fluxo migratório. Lentamente, a economia etíope se recupera. A região é o berço histórico das civilizações, pois em pesquisas há referências bíblicas e do período pré-histórico no local. Também foi a Etiópia um dos primeiros países que adotaram o cristianismo como religião, mas um terço da população é formada por muçulmanos.

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895