Pequim adia reabertura de escolas por nova onda de Covid-19

Pequim adia reabertura de escolas por nova onda de Covid-19

Alunos dos ensinos fundamental e médio "continuarão com aulas remotas" na segunda

AFP

publicidade

A maioria das crianças de Pequim não poderá voltar à escola na próxima semana, como estava previsto, devido a uma nova onda de coronavírus, anunciaram as autoridades chinesas neste sábado. Muitos alunos dos ensinos fundamental e médio "continuarão com aulas remotas" na segunda-feira, informou o porta-voz do governo local, Xu Hejian, neste sábado. As autoridades haviam anunciado um plano de retorno às aulas por etapas a partir da próxima semana.

A China é o último país que aplica a estratégia "covid zero", que consiste em erradicar os casos com testes em larga escala e confinamentos. Mas os números da pandemia nos últimos meses provocaram o questionamento da política. A cidade de Xangai, centro econômico do país, foi obrigada a adotar um confinamento de vários meses. Na capital Pequim impera o ensino à distância e o teletrabalho.

As autoridades de Pequim flexibilizaram várias restrições no início da semana, mas a detecção de novos casos provocou a retomada de várias medidas. A cidade registra um surto de 115 casos relacionados com um bar. disse Liu Xiaofeng, secretário de Saúde do município.

Em Xangai, quase 20 milhões de pessoas começaram a ser submetidas a testes neste sábado, menos de duas semanas depois do confinamento rígido que irritou os moradores. Neste sábado, a China registrou 138 novos casos de covid, quase metade deles em Pequim, segundo os números oficiais.


Mais Lidas





Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895