Peru deixa banhistas sem praia nos fins de semana

Peru deixa banhistas sem praia nos fins de semana

Medida busca evitar aglomerações que convertam os locais em focos de contágio do novo coronavírus

AFP

O país se aproxima de 880 mil casos de coronavírus e 34 mil mortes

publicidade

Devido à pandemia, a maioria dos peruanos só poderá ver o mar de longe e terá que se abster de pegar sol na areia nos fins de semana a partir desta sexta-feira. O governo ditou um decreto que proíbe o banho nas praias de Lima, bem como a permanência na areia às sextas, sábados e domingos, embora siga permitida "a realização de esportes aquáticos sem contato", como surfe, vela e remo.

A medida busca evitar aglomerações que convertam as praias em focos de contágio do novo coronavírus durante a primavera e o verão, em meio ao temor de uma segunda onda da doença. Além dos banhistas, o decreto afeta centenas de ambulantes, em um país com 70% de informalidade no mercado de trabalho e em recessão devido a um confinamento nacional obrigatório por mais de 100 dias.

Nas províncias, a decisão de fechar as praias ficará a cargo dos governos locais. Nessas regiões, a população poderá ir à praia "sempre e quando não forem geradas aglomerações e que não for colocada em risco a saúde dos cidadãos", diz o decreto.

Em todas as praias do Peru, país com 2,5 mil quilômetros de costa no Pacífico, será proibido o consumo de alimentos e bebidas, exceto água, um duro golpe contra os comerciantes. O país se aproxima de 880 mil casos de coronavírus e 34 mil mortes.


publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895