Polícia de Nova Iorque não investiga tiroteio no metrô como uma ação terrorista

Polícia de Nova Iorque não investiga tiroteio no metrô como uma ação terrorista

Autor do ataque usou um dispositivo de fumaça antes de iniciar os disparos; 16 pessoas ficaram feridas, sendo 10 baleadas

R7 e AFP

Vídeos na internet mostram passageiros fugindo e tentando ajudar os feridos

publicidade

Comissária da polícia de Nova Iorque, Keechant Sewell, afirmou que o tiroteio no metrô, nesta terça-feira, não está sendo investigado como um ataque terrorista. Keechant reforçou que não foram localizados artefatos explosivos dentro da estação localizada no bairro do Brooklyn.

Segundo o Corpo de Bombeiros, 16 pessoas ficaram feridas no trem e também na plataforma da estação, sendo que 10 foram baleadas. Entre as vítimas, cinco estão em situação crítica, mas estável. 

O autor da ação usou um dispositivo de fumaça antes de inciar os disparos dentro do vagão. Vídeos na internet mostram passageiros fugindo e tentando ajudar os feridos. O suspeito foi descrito por testemunhas como um homem negro com aproximadamente 1,65m de altura e cerca de 80 quilos. Ele estava vestindo um colete laranja usado na construção civil e uma máscara de gás.

"Chega de tiroteios!", diz governadora de Nova Iorque 

A governadora de Nova Iorque, Kathy Hochul, fez um apelo para que tiroteios não ocoram mais, durante uma coletiva de imprensa nesta terça-feira (12). "Nós estamos com as pessoas de Nova Iorque. Nós queremos dizer chega! Chega de tiroteios! Chega de causarem dor às pessoas, isso deve acabar agora", afirmou. 

Durante a entrevista, Hochul ainda disse que os cidadãos de Nova Iorque estão enjoados de tantos tiroteios e que irá continuar trabalhando para que ataques parem de ocorrer. 

O prefeito da cidade, Eric Adams, não se pronunciou publicamente sobre o caso porque testou positivo para a Covid-19.

Veja Também



Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895