Policial acusado de assassinar George Floyd comparece à Justiça nos EUA

Policial acusado de assassinar George Floyd comparece à Justiça nos EUA

Derek Chauvin foi filmado junto de outros três policiais, enquanto enforcava George Floyd com seu joelho

AFP

Assassinato de George Floyd gerou onda de protestos: Black Live Matters

publicidade

O policial americano acusado de assassinar George Floyd, o homem negro de 46 anos cuja morte desencadeou protestos nos Estados Unidos e em outros lugares do mundo, deve comparecer pessoalmente à Justiça pela primeira vez nesta sexta-feira.

Derek Chauvin, filmado em 25 de maio pressionando seu joelho no pescoço de Floyd após prendê-lo em uma rua de Minneapolis, enfrenta uma acusação por homicídio em terceiro grau e outra por homicídio em segundo grau. Outros três policiais de Minneapolis que estavam com Chauvin quando Floyd foi detido foram acusados de cumplicidade e incitação ao homicídio em segundo grau.

Os quatro policiais foram demitidos no dia seguinte à morte de Floyd. Os promotores afirmam que a morte do homem negro, desarmado no momento da prisão, foi "cruel, brutal e desumana". Floyd foi detido por supostamente usar uma nota falsa de 20 dólares em uma loja. Espera-se que a defesa de Chauvin argumente que Floyd estava drogado nesse momento e morreu de uma overdose de fentanil.

Os promotores querem provar que os quatro policiais agiram juntos e que um julgamento em conjunto seria mais eficiente e mais adequado para responder à angústia da família Floyd. Os advogados defensores querem que os quatro acusados sejam julgados em separado e pedem diferentes locais de julgamento. Do lado de fora do Centro de Justiça Familiar, no centro de Minneapolis, dezenas de manifestantes aguardam o acusado com cartazes, gritos e uma grande bandeira que diz: "Black Lives Matter".


publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895