Pompeo critica chamado de guerrilheiros na Colômbia para voltar às armas

Pompeo critica chamado de guerrilheiros na Colômbia para voltar às armas

Ex-líderes das guerrilhas das Farc decidiram abandonar acordo de paz e voltar às armas na Colômbia

AFP

Pompeu condena também "atividades terroristas do ELN e os que as permite"

publicidade

O chefe da diplomacia dos Estados Unidos, Mike Pompeo, condenou, nesta sexta-feira, o anúncio de um grupo de ex-líderes da guerrilha dissolvida das Farc, que decidiram abandonar o acordo de paz e voltar às armas na Colômbia. "Condenamos com força os recentes chamados de alguns indivíduos a abandonar os compromissos do acordo de paz de 2016 para voltar a se envolver no terrorismo e na violência", disse o secretário de Estado em um comunicado.

Na quinta-feira, Iván Márquez, ex-número dois das Farc e líder negociador do grupo rebelde nas tratativas de paz com o governo colombiano, anunciou em um vídeo seu regresso às armas.

Na quinta-feira, o emissário dos Estados Unidos para a crise na Venezuela, Elliott Abrams, disse que a guerrilha colombiana do ELN e dissidentes das Farc operam na Venezuela com o apoio do governo de Nicolás Maduro. Em seu comunicado, Pompeo também condenou as "contínuas atividades terroristas do ELN e os que as permitem e lhe dão refúgio".


publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895