Prefeitura de São Paulo confirma transmissão comunitária da variante ômicron da Covid-19

Prefeitura de São Paulo confirma transmissão comunitária da variante ômicron da Covid-19

Capital paulista soma 13 diagnósticos positivos para a cepa

AE

São Paulo tem transmissão comunitária da variante ômicron da Covid-19

publicidade

A Prefeitura de São Paulo identificou três novos casos de infecção do coronavírus pela Ômicron nesta sexta-feira, 17, e agora passa a considerar que há transmissão comunitária da variante na capital. Ao todo, já são 13 diagnósticos positivos para a cepa no município.

Segundo a Secretaria Municipal de Saúde (SMS), a variante foi encontrada em duas mulheres, de 22 e 65 anos, e em um homem, de 30. Nenhum deles relatou viagem recente para fora do País ou contato com algum viajante que tenha chegado do exterior. Os casos também não teriam relação com o paciente de 67 anos, diagnosticado com a Ômicron há exata uma semana.

Ainda na quarta-feira, a SMS negou que houvesse transmissão comunitária da Ômicron na capital, já que os 10 casos identificados até então estavam relacionados a esse paciente de 67 anos, o que foi classificado como um cluster localizado".

Um dia depois e antes dos três casos anunciados nesta sexta, o prefeito Ricardo Nunes (MDB) já havia declarado durante evento público que havia "transmissão comunitária" da Ômicron na capital. Questionadas, tanto a SMS quanto a Prefeitura não comentaram a declaração.

De acordo com a SMS, todos os pacientes identificados com a variante Ômicron no município estão com sintomas leves.

Porto Alegre chegou ao sétimo caso

Na tarde desta sexta-feira, a Secretaria de Saúde de Porto Alegre confirmou o sétimo caso da variante ômicron da Covid-19. De acordo com a pasta, ele está vinculado ao primeiro caso confirmado na Capital. 

Assim, dos sete, dois são importados (pessoas residentes no exterior) e cinco estão vinculados epidemiologicamente ao primeiro caso - chamado de caso índice. Todos os pacientes relataram à vigilância epidemiológica terem recebido pelo menos uma dose de vacina contra Covid-19.



Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895