Premiê japonês pede fechamento temporário de escolas por coronavírus
capa

Premiê japonês pede fechamento temporário de escolas por coronavírus

Instituições infantis não terão funcionamento a partir de segunda-feira

Por
AFP

Japão já registrou 164 casos da doença além em terra firme


publicidade

O primeiro-ministro japonês, Shinzo Abe, pediu nesta quinta-feira o fechamento provisório das escolas públicas do país, a partir da próxima segunda, para evitar a propagação do novo coronavírus. "O governo põe a saúde e a segurança das crianças acima de tudo", disse Abe à imprensa.

"Pedimos a todas as escolas públicas infantis, de primário e de secundário (de todo país), que fechem temporariamente a partir de 2 de março e até as férias de primavera", que serão no final do mês que vem, completou. O país já registrou 164 casos de infecção fora além dos passageiros do cruzeiro "Diamond Princess", atracado na costa nipônica.

No dia anterior, o Comitê Organizador da Olimpíada no Japão reiterou que a data da competição será mantida apesar dos casos de infecção no território, entretanto, se o surto se tornar muito perigoso, os organizadores do evento optarão pelo cancelamento ao invés de adiar os Jogos, conforme informou um dos mais antigos dirigentes do Comitê Olimpico Internacional (COI), Dick Pound.

As autoridades de saúde da China divulgaram nesta quinta-feira (noite de quarta no Brasil) mais 29 mortes provocadas pelo novo coronavírus, o menor número diário de falecimentos registrados desde janeiro, e um pequeno aumento na quantidade geral de contágios.

De acordo com o balanço da Comissão Nacional de Saúde, foram registrados 433 novos diagnósticos positivos, sendo 409 na província de Hubei, epicentro da epidemia. Na China continental (que exclui Hong Kong e Macau), o número total de falecimentos é de 2.744, enquanto a quantidade de casos diagnosticados até o momento está em torno de 78.500.