Presidente do Madagascar defende uso de poção tradicional contra o coronavírus

Presidente do Madagascar defende uso de poção tradicional contra o coronavírus

Eventuais benefícios desta infusão, chamada de Covid Organics, não foram endossados por nenhum estudo científico

AFP

Presidente de Madagascar bebe a Covid Organics

publicidade

Apesar de nem a comunidade científica nem a Organização Mundial da Saúde apoiarem, o presidente de Madagascar, Andry Rajoelina, voltou a defender nesta segunda-feira (11) uma poção como remédio contra o coronavírus e atacou aqueles que desacreditam a medicina tradicional africana. "Se em vez de Madagascar tivesse sido um país europeu que descobriu este remédio, haveria tantas dúvidas? Acho que não", afirmou Rajoelina em entrevista à mídia francesa France 24 e Radio France International (RFI).

Madagascar forneceu à sua população e vários países africanos uma mistura à base de artemísia, uma planta com efeitos terapêuticos reconhecidos contra a malária, para prevenir e curar a Covid-19.

Os eventuais benefícios desta infusão, chamada de Covid Organics, não foram endossados por nenhum estudo científico e a OMS alertou na quinta-feira aos líderes africanos contra a tentação de promover e utilizar esta poção malgaxe sem provas científicas.

 

 

 


publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895