Presidentes da Ucrânia e do Irã conversam por telefone neste sábado

Presidentes da Ucrânia e do Irã conversam por telefone neste sábado

Diálogo ocorre após país do Oriente Médio admitir autoria em queda de avião que matou 176 pessoas

Agência Brasil

Presidente da Ucrânia Volodymyr Zelensky (à esquerda) e presidente do Irã Hassan Rohani (à direita)

publicidade

O presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelensky, e o seu homólogo iraniano, Hassan Rohani, mantêm neste sábado à tarde uma conversa telefônica, depois que o Irã admitiu que abateu, por engano, um avião da companhia Ukraine Airlines International, matando todos os 176 pessoas a bordo.

Zelensky terá "uma conversa telefônica com o Presidente da República islâmica do Irã, Hassan Rohani, às 17h", após a qual "falará ao povo ucraniano", informou um comunicado da presidência ucraniana."Os nossos especialistas em Irã tiveram acesso a todas as fotografias e vídeos e outras informações necessárias para analisar os processos em curso em Teerã", informa ainda o comunicado, que manifesta confiança de que o Irã vai realizar um inquérito "rápido e objetivo".

Neste sábado, o presidente da Ucrânia exigiu a punição dos responsáveis pelo abate, além do pagamento de indenizações por parte do governo iraniano."A manhã trouxe a verdade. A Ucrânia insiste no pleno reconhecimento de culpa. Esperamos do Irã que leve os culpados à justiça, devolva os corpos, pague uma indenização e publique um pedido de desculpas oficial", escreveu Volodymyr Zelensky na sua conta do Twitter. "A investigação tem de ser completa, aberta e deve continuar sem atrasos ou obstáculos", acrescentou.

Nas redes sociais, o presidente do Irã afirmou que o país "lamenta profundamente" ter abatido um avião civil ucraniano, sublinhando tratar-se de "uma grande tragédia e um erro imperdoável".

O Boeing 737 da companhia Ukrainian Airlines caiu na quarta-feira nos arredores de Teerã. A maior parte das vítimas era de origem iraniana e canadense, mas também havia afegãos, britânicos e suecos, além de 11 ucranianos, nove dos quais membros da tripulação.

O acidente ocorreu horas depois do lançamento de 22 mísseis iranianos contra duas bases da coligação internacional liderada pelos Estados Unidos, em Ain Assad e Erbil, no Iraque, em uma operação de vingança pela morte do general iraniano Qassem Soleimani.


publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895