Putin afirma que não quer restaurar um império

Putin afirma que não quer restaurar um império

Presidente russo negou a legitimidade do Estado da Ucrânia em discurso nessa segunda

AFP

Putin teve uma reunião no Kremlin com seu colega do Azerbaijão, Ilham Aliyev

publicidade

O presidente russo Vladimir Putin afirmou nesta terça-feira que não tem a intenção de reconstituir um império. A declaração foi feita um dia depois do reconhecimento das regiões separatistas pró-Rússia na Ucrânia e de um discurso que negava a legitimidade do Estado ucraniano.

"Tínhamos previsto que haveria especulações deste tipo, sobre se a Rússia pretende restaurar um império", disse, durante uma reunião no Kremlin com seu colega do Azerbaijão, Ilham Aliyev. E "isso não corresponde em absoluto à realidade", acrescentou.

O presidente russo destacou que após a desintegração da URSS, a Rússia "reconheceu as novas realidades e trabalhou de maneira muito ativa para reforçar" a cooperação com outros países da ex-União Soviética, citando como exemplo vizinhos como Azerbaijão e Cazaquistão. De acordo com Putin, a situação da Ucrânia é "diferente", pois "seu território está sendo utilizado por terceiros países para criar ameaças contra a Rússia".

Além de ter reconhecido os separatistas pró-Rússia na Ucrânia, Moscou também reconheceu dois territórios separatistas na Geórgia (2008), anexou a península da Crimeia (2014) e apoiou o separatismo da Transnistria na Moldávia desde o início da década de 1990.

Na segunda-feira à noite, Putin, em um longo discurso com tom de ameaça, negou a legitimidade do Estado da Ucrânia em geral e insistiu em sua tese de apresentá-la como um país artificial, inseparável da Rússia.

Veja Também



Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895