Rússia ameaça instalar armas nucleares perto da Escandinávia se Otan se expandir

Rússia ameaça instalar armas nucleares perto da Escandinávia se Otan se expandir

Moscou afirmou que não consideraria mais um "Báltico não nuclear"

AFP

Finlândia, do ministro da Defesa, Antti Kaikkone, pode entrar na Otan

publicidade

O ex-primeiro-ministro russo Dmitri Medvedev disse nesta quinta-feira que se a Finlândia ou a Suécia aderirem à Otan, a Rússia reforçará seu contingente militar, incluindo armas nucleares no Mar Báltico, perto da Escandinávia. Em caso de adesão, "as fronteiras da Aliança com a Rússia seriam multiplicadas por dois. E será necessário defender essas fronteiras", revelou o atual número dois do Conselho de Segurança russo em mensagem via Telegram.

"Neste caso, não poderia mais ser considerado um Báltico não nuclear", acrescentou, evocando também a implantação de sistemas de defesa de infantaria e antiaérea no noroeste da Rússia e forças navais no Golfo da Finlândia.

Referindo-se à população da Finlândia e da Suécia, o responsável estimou que "ninguém em sã consciência (...) pode querer um aumento de tensão nas suas fronteiras e ter Iskander (mísseis) junto à sua casa, (mísseis) hipersônicos e navios com armas nucleares".

A Finlândia, que compartilha uma longa fronteira com a Rússia e tem uma história complicada com seu vizinho, assim como a Suécia, está considerando ingressar na Otan após a ofensiva da Rússia contra a Ucrânia.

 



Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895