Rainha Elizabeth II celebra "senso de dever" dos jovens com proteção do meio ambiente
capa

Rainha Elizabeth II celebra "senso de dever" dos jovens com proteção do meio ambiente

Monarca também defendeu reconciliação e amizade para "fazer coisas positivas"

Por
AFP e Correio do Povo

Rainha pregou união para enfrentar as adversidades


publicidade

A rainha do Reino Unido e dos quinze outros Estados independentes conhecidos como Reinos da Comunidade de Nações, Elizabeth II, celebrou em sua tradicional mensagem de Natal o compromisso das novas gerações diante da crise climática, após um 2019 marcado por inúmeras mobilizações inspiradas na ativista Greta Thunberg. "Os desafios que muita gente enfrenta no presente são, talvez, distintos dos que minha geração enfrentou, mas estou surpresa com a maneira como as novas gerações demonstram um senso de dever diante de problemas como a proteção do meio ambiente e do clima", elogiou a monarca, de 93 anos, que não citou nomes no discurso.

Escolhida personalidade do ano pela revista "Time", a adolescente sueca de 16 anos inspirou milhares de jovens ao redor do mundo que foram às ruas pedir aos dirigentes que tomem medidas ambiciosas para fazer frente à mudança climática. "Minha família e eu também somos inspirados pelos homens e mulheres de nossos serviços de emergência e forças armadas; e no Natal, lembramos de todos os que estão de plantão em casa e no exterior, que ajudam os necessitados e mantêm a nós e nossas famílias em segurança".

Elizabeth II também disse que ela e seu marido, príncipe Philip, "orgulham-se" da chegada de um novo membro à família Real com o nascimento em maio de Archie, filho do príncipe Harry e de Meghan Markle. "Duzentos anos depois do nascimento de minha bisavó, a rainha Vitória, o príncipe Philip e eu ficamos encantados em receber nosso oitavo bisneto em nossa família. É claro que no coração da história do Natal está o nascimento de uma criança: um passo aparentemente pequeno e insignificante por muitos em Belém", disse.

Estas palavras contrastam com a ausência de Harry e Meghan nas fotografias que decoravam o escritório da soberana durante sua intervenção televisiva. Oduque e a duquesa de Sussex não passarão as festas de fim de ano com a família Real – Harry e Meghan foram para o Canadá, onde a americana viveu por sete anos quando trabalhava como atriz na série "Suits".

A rainha também falou de um ano cheio de obstáculos depois que a sociedade britânica se dividiu por causa do Brexit. "Mas, com o tempo, através de seus ensinamentos e de seu exemplo, Jesus Cristo mostraria ao mundo como pequenos passos dados na fé e na esperança podem superar diferenças antigas e divisões profundas para trazer harmonia e entendimento. Muitos de nós já tentamos seguir seus passos. O caminho, é claro, nem sempre é tranquilo, e às vezes este ano parece bastante acidentado, mas pequenos passos podem fazer um mundo de diferença", afirmou.

 


A monarca também lembrou as efemérides de 2019. "Quando criança, nunca imaginei que um dia um homem andaria na lua. No entanto, este ano marcamos o 50º aniversário da famosa missão Apollo 11. Quando essas imagens históricas foram transmitidas de volta para a Terra, milhões de nós ficaram paralisados em nossas telas de televisão, enquanto assistíamos a Neil Armstrong dar um pequeno passo para o homem e um salto gigantesco para a humanidade – e, de fato, para a mulher. É um lembrete para a humanidade. Todos os saltos gigantescos geralmente começam com pequenos passos. Este ano, marcamos outro aniversário importante: Dia D. Em 6 de junho de 1944, cerca de 156 mil forças britânicas, canadenses e americanas desembarcaram no norte da França. Foi a maior invasão marítima de todos os tempos e atrasou-se devido ao mau tempo", disse.