Reino Unido enfrenta novas restrições por causa de variante do novo coronavírus

Reino Unido enfrenta novas restrições por causa de variante do novo coronavírus

Número de pessoas sob o nível máximo de medidas na Inglaterra aumentou em 6 milhões

AE

Reino Unido enfrenta novas restrições por causa de variante do novo coronavírus

publicidade

Milhões de pessoas no Reino Unido enfrentam neste sábado novas restrições por causa da nova variante do coronavírus, com a Escócia e a Irlanda do Norte adotando medidas mais rígidas para tentar deter a disseminação da nova variante do vírus, que se acredita espalhar mais rapidamente.  A Irlanda do Norte entrou em um bloqueio de seis semanas, enquanto no País de Gales as restrições que foram relaxadas para o dia de Natal também foram reimpostas. 

O número de pessoas sob o nível máximo de restrições na Inglaterra aumentou em 6 milhões no sábado, para 24 milhões de pessoas no total, cerca de 43% da população local. A região de restrição máxima inclui Londres e diversas áreas ao redor da capital britânica. 

Não está permitido nenhum encontro familiar, mesmo dentro de casa, apenas viagens essenciais estão liberadas. Academias, piscinas, cabeleireiros e lojas de produtos não essenciais foram obrigados a fechar, e bares e restaurantes só podem vender comida para viagem. Grupos empresariais dizem que as restrições serão economicamente devastadoras. 

Mais 570 mortes diárias por Covid-19 foram relatadas, elevando o número total de mortos na Grã-Bretanha para 70.195, o segundo pior número de mortes na Europa, atrás da Itália. A Grã-Bretanha também relatou mais de 32.700 novos casos da doença no dia de Natal. 

Os temores sobre a nova cepa do vírus do Reino Unido geraram uma semana de caos nas fronteiras britânicas. Cerca de 1 mil soldados britânicos passaram o dia de Natal tentando eliminar a fila de caminhões presos no sudeste da Inglaterra, depois que a França fechou sua fronteira com o Reino Unido e exigiu testes de coronavírus de todos os motoristas. O secretário de transportes britânico, Grant Shapps, disse neste sábado que mais de 15 mil motoristas foram testados e apenas 36 testes positivos foram registrados. 

Os primeiros casos da nova variante encontrada do Reino Unido já foram detectados na França e na Espanha. Um francês que mora na Inglaterra chegou à França em 19 de dezembro e testou positivo para a nova cepa na sexta-feira, disse a agência de saúde pública francesa. Ele não apresenta sintomas e está isolado em sua casa no centro da cidade de Tours. Enquanto isso, autoridades de saúde na região de Madri disseram ter confirmado a variante do Reino Unido em quatro pessoas, todas com boa saúde. O chefe regional de saúde, Enrique Ruiz Escudero, disse que a nova cepa havia chegado quando uma pessoa infectada voou para o aeroporto de Madri.


publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895