Saúde britânica desenvolve aplicativo de rastreamento focado no coronavírus

Saúde britânica desenvolve aplicativo de rastreamento focado no coronavírus

Software ainda será testado em uma pequena área para medir sua eficácia

AFP

Segundo o NHSX, aplicativo pode estar disponível em "duas ou três semanas"

publicidade

A saúde pública britânica poderá ter pronto em semanas seu próprio aplicativo de rastreamento do coronavírus para smartphones que, diferentemente de softwares rejeitados de Apple e Google, centraliza a informação, apesar do temor de que ameace a privacidade dos usuários.

Matthew Gould, encarregado do setor de inovação digital do serviço público de saúde NHSX, afirmou nesta terça-feira que esta ferramenta para detectar os contatos de pessoas infectadas com Covid-19 poderia estar disponível em "duas ou três semanas". Será testado em uma pequena área para medir sua eficácia, especificou diante de um comitê parlamentar de ciência e tecnologia.

Este software utiliza a tecnologia Bluetooth para manter um registro anônimo dos outros usuários de smartphones com quem uma determinada pessoa entra em contato. O usuário pode decidir enviar os dados ao aplicativo se começar a apresentar sintomas de Covid-19 ou testar positivo. Neste caso, será enviada uma notificação a essas outras pessoas.

De acordo com a BBC, a saúde britânica decidiu desenvolver o aplicativo internamente ao invés de usar um semelhante criado pela Apple e Google, apesar dos temores sobre seus riscos à privacidade. A versão do NHSX vincula os contatos de forma centralizada através de um servidor. O outro modelo, por outro lado, faz isso através de telefones individuais.

Pesquisadores britânicos garantem que isso facilita o acompanhamento da propagação do vírus, mas outros países europeus favoreceram a abordagem "descentralizada" por motivos de privacidade. A associação britânica de defesa dos direitos civis "Liberty" expressou seu temor de que o aplicativo se torne uma ferramenta de vigilância e de que a população se veja obrigada a compartilhar informações sobre seus movimentos.

Na semana passada, o governo explicou que o aplicativo ajudaria a rastrear os novos casos, uma vez que se relaxe o confinamento, imposto em 23 de março e prolongado até 7 de maio. O número de mortes e infecções está em queda, mas o primeiro-ministro Boris Johnson alertou na segunda-feira que um relaxamento total das restrições não é imitente.

O NHSX se "prepara para ter o aplicativo pronto para quando for necessário, para o momento em que o país busque ter as ferramentas para sair do confinamento com segurança", afirmou Gould.


publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895