Salvini proíbe entrada de navio de ONG em águas italianas
capa

Salvini proíbe entrada de navio de ONG em águas italianas

"Eleonore", de bandeira alemã, com uma centena de migrantes a bordo, teve seu acesso negado

Por
AFP

Itália e Malta rejeitam desembarque de navios que resgatam migrantes fora de suas águas territoriais

publicidade

O ministro do Interior Matteo Salvini proibiu a entrada em águas territoriais italianas do navio humanitário "Eleonore", de bandeira alemã, com uma centena de migrantes a bordo. A ONG alemã Mission Lifeline anunciou nesta segunda-feira que havia resgatado no mar Mediterrâneo uma centena de migrantes detectados a bordo de um bote, e afirmou que sua tripulação havia sido ameaçada pela guarda-costeira líbia.

Itália e Malta rejeitam sistematicamente o desembarque dos navios que resgatam migrantes fora de suas águas territoriais, se não se chegar antes a um acordo de partilha com outros países europeus. O "Eleonore" tem 20 metros de comprimento e navega sob bandeira alemã. O "Lifeline", barco com bandeira holandesa da mesma organização alemã, foi retido por ordem judicial em junho em Malta, onde havia atracado com mais de 230 migrantes a bordo. O capitão desse navio, Claus-Peter Reisch, foi acusado pelas autoridades maltesas e italianas de ter desobedecido as ordens dos guardas-costeiros líbios. Ele foi condenado com uma multa elevada, mas apelou da decisão. O mesmo capitão está no comando do "Eleonore".