Senadores democratas intensificam a campanha em Iowa antes do início das primárias

Senadores democratas intensificam a campanha em Iowa antes do início das primárias

Estado é crucial nas primárias pois é o primeiro a votar, na segunda-feira

AFP

O socialista Bernie Sanders é o favorito nas pesquisas de Iowa

publicidade

Os senadores democratas que almejam a obter a indicação do partido para a eleição presidencial americana de novembro estão neste sábado em Iowa, o primeiro estado a votar nas primárias, na segunda-feira, depois que foram obrigados a acompanhar durante vários dias o julgamento político do presidente, Donald Trump, em Washington.

Três dos principais pré-candidatos do partido, todos senadores, conseguiram deixar o Congresso após a suspensão das audiências do julgamento de Trump até segunda-feira: o socialista Bernie Sanders, favorito nas pesquisas de Iowa, a progressista Elizabeth Warren e a moderada Amy Klobuchar. O presidente americano provavelmente será absolvido na quarta-feira no Senado das acusações de abuso de poder e obstrução do Congresso, uma vitória importante para o chefe de Estado, que almeja conquistar o segundo mandato.

Ao impedir a campanha de três dos favoritos, o julgamento de Trump provocou uma situação inédita em Iowa, um estado crucial nas primárias por ser o primeiro a votar. Um bom resultado na localidade pode impulsionar um candidato para novas vitórias nos estados que votarão pouco depois. Um fracasso pode significar o fim da disputa pela candidatura.

Aos 78 anos, Sanders tem muito suporte em Iowa, especialmente entre os jovens. Sua equipe organizou shows de apoio no fim de semana com grupos como Vampire Weekend e Bon Iver. O senador perdeu a primeira apresentação na sexta-feira à noite, mas fez um discurso ao vivo a partir de Washington, no qual pediu uma grande mobilização na segunda-feira.

Warren e Klobuchar também pretendem intensificar os encontros com eleitores nas próximas horas. O tempo é curto. Enquanto os senadores estavam em Washington, seus dois grandes rivais, os moderados Joe Biden e Pete Buttigieg, prosseguiram com a campanha em Iowa.

As últimas horas podem ser cruciais neste estado de população pequena, onde as pesquisas apontam uma pequena diferença entre os quatro favoritos: Sanders, que lidera a intenção de votos, seguido, nesta ordem, por Biden, Buttigieg e Warren.

Votação atípica

Para aumentar a incerteza, quase metade dos eleitores democratas de Iowa se declararam indecisos antes do "caucus", um sistema eleitoral atípico.

Na segunda-feira às 19H00 (22H00 de Brasília), quase 600.000 habitantes filiados ao Partido Democrata poderão comparecer a 1.700 salas - escolas, teatros, igrejas - para mostrar publicamente seu apoio em encontros com as demais pessoas que apoiam seu candidato.

Muitos estão unidos pelo mesmo objetivo, segundo o presidente do partido no estado, Troy Price. "Muitos querem assegurar que derrotaremos Donald Trump".

Biden optou por dar um tom grave a sua campanha, descrevendo Trump como uma ameaça. Ele afirmou em um comício que a "identidade da nação" está em jogo. O político veterano, de 77 anos, que lidera as pesquisas nacionais, destacou sua experiência. "O próximo presidente dos Estados Unidos encontrará um país dividido e um mundo desconcertado. Precisamos de um presidente preparado desde o primeiro dia", afirmou.

Em Iowa, os habitantes levam a sério o papel de primeiros eleitores nas primárias e não hesitam em interrogar os candidatos em pequenos grupos.

Assim como Biden, Buttigieg, 38 anos, teve muitos encontrados com moradores de Iowa. O ex-prefeito de South Bend, Indiana, se apresentou como a opção jovem ante Biden e insinuou que Sanders divide muito o eleitorado.


publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895