Sindicato corta a luz de milhares de lares e empresas em Paris

Sindicato corta a luz de milhares de lares e empresas em Paris

O corte faz parte da última de uma série de interrupções no serviço de eletricidade em protesto contra a reforma da Previdência francesa

Por
AFP

O movimento contra a reforma começou em 5 de dezembro


publicidade

Um sindicato cortou a luz de milhares de empresas e residências nesta terça-feira, em Paris, na última de uma série de interrupções no serviço de eletricidade em protesto contra a reforma do sistema de Previdência. "O objetivo é levar as coisas a um nível mais alto antes da apresentação da reforma" [diante do conselho de ministros na sexta-feira], disse Sébastien Menesplier, secretário-geral do setor de energia do sindicato da CGT.

As autoridades francesas condenaram esses cortes que afetam milhares de casas em toda a França desde meados de dezembro, alertando que eles podem ter consequências perigosas para os cidadãos. A operadora da rede, Enedis, disse que os cortes de terça-feira foram registrados por volta das 06H00 local e afetaram vários subúrbios ao sul da capital, bem como o aeroporto de Orly e o mercado de alimentos e produtos agrícolas de Rungis, um importante local de fornecimento para lojas e restaurantes.

Os técnicos conseguiram restaurar o fornecimento de eletricidade depois de duas horas, e a Enedis disse que abrirá um processo por "atos maliciosos". "Assumimos a responsabilidade pelos cortes e suas consequências, incluindo reclamações da administração da Enedis", disse Menesplier.


O movimento contra a reforma do sistema de aposentadorias que o governo de Emmanuel Macron quer estabelecer começou em 5 de dezembro e, desde então, a França vive uma onda de greves e protestos, que perderam força nos últimos dias.