Tóquio vai suspender estado de emergência no domingo, a um mês dos Jogos Olímpicos

Tóquio vai suspender estado de emergência no domingo, a um mês dos Jogos Olímpicos

Segundo autoridade japonesa, número de infecções em queda e maior disponibilidade de leitos de hospital justificam a mudança

AFP

Tóquio vai suspender estado de emergência no domingo, a um mês dos Jogos Olímpicos

publicidade

O estado de emergência contra a pandemia de Covid-19 em Tóquio e outras regiões do Japão será suspenso no próximo domingo, 20 de junho, um mês antes do início dos Jogos Olímpicos, informou nesta quinta-feira (17) o primeiro-ministro japonês, Yoshihide Suga.

Estas regiões estão desde o fim de abril em estado de emergência, o que consiste principalmente no fechamento mais cedo de bares e restaurantes, assim como a proibição de venda de bebida alcoólica. O dispositivo terminará no domingo em Tóquio e outros oito departamentos do país, anunciou Suga. Em Okinawa (sudoeste) será prolongado até 11 de julho.

O governo nipônico, no entanto, vai prosseguir com restrições importantes até 11 de julho na capital e em outros seis departamentos, principalmente para bares e restaurantes, que terão que fechar as portas às 20h, com a possibilidade de servir bebida alcoólica até 19h.

"O número de infecções a nível nacional está em queda desde meados de maio e a disponibilidade de leitos de hospital melhora", afirmou o primeiro-ministro. Contudo, em alguns departamentos a curva descendente parece estagnar, completou Suga, para justificar a continuidade das restrições.

No cenário de "quase estado de emergência" Tóquio deverá seguir limitando o número de espectadores em competições esportivas e shows, com um limite de capacidade de 50% e público máximo de 5.000 pessoas. Na quarta-feira, o governo aceitou o limite de 10.000 espectadores para os departamentos que não se encontram em estado de emergência ou "quase estado de emergência".

As regras podem influenciar os organizadores dos Jogos Olímpicos, que no início da próxima semana devem decidir sobre a presença ou não de espectadores locais no evento esportivo e qual a capacidade.

A imprensa local informou que o comitê organizador dos Jogos Olímpicos poderia usar o mesmo limite de 10.000 espectadores para a presença de público. Os espectadores procedentes do exterior já foram vetados dos Jogos, algo sem precedentes na história olímpica.

A pouco mais de um mês da cerimônia de abertura, os organizadores tentam gerar confiança de que os Jogos, o maior evento internacional desde o início da pandemia, serão seguros para atletas e público.

Regras muito rígidas 

Novas orientações sanitárias divulgadas esta semana advertem os atletas que eles poderão ser expulsos dos Jogos caso violem normas como usar máscara ou passar por testes diários. Os organizadores afirmaram que 80% dos atletas participantes serão vacinados e não poderão interagir com o público japonês.

O país foi menos afetado pela pandemia que outras grandes potências, com 14.000 mortes provocadas pela Covid-19 desde março de 2020, de acordo com os dados oficiais. Porém, a crise de saúde provocou uma forte pressão no sistema hospitalar e a aproximação dos Jogos aumenta o temor do surgimento de variantes mais contagiosa. Apenas 6% da população japonesa está completamente vacinada.

Os quase 6.000 jornalistas procedentes do exterior que trabalharão no evento terão os deslocamentos limitados em suas duas primeiras semanas no país, por exemplo, com permissão apenas para sair do hotel e acompanhar as competições. Os deslocamentos serão registrados por GPS, para verificação posterior em caso de problemas.

As regras parecem começar a tranquilizar a população japonesa, que as últimas pesquisa demonstrou uma oposição menor aos Jogos Olímpicos que há alguns meses.

Veja Também

 


publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895