Tempestade ameaça Bahamas após devastação do furacão Dorian
capa

Tempestade ameaça Bahamas após devastação do furacão Dorian

Pelo menos 1.300 pessoas seguem desaparecidas na região

Por
AFP

Centro Nacional de Furacões dos Estados Unidos (NHC) informou que há uma alta probabilidade de que uma tempestade tropical traga ventos fortes e chuvas torrenciais ao centro e noroeste das Bahamas

publicidade

Uma nova tempestade ameaça atingir as Bahamas nesta sexta-feira, onde há ao menos 1.300 desaparecidos devido a passagem do furacão Dorian, há dez dias. O Centro Nacional de Furacões dos Estados Unidos (NHC) informou que há uma alta probabilidade de que uma tempestade tropical traga ventos fortes e chuvas torrenciais ao centro e noroeste das Bahamas.

O fenômeno estava à 00H00 GMT (21h Brasília) 380 km a sudeste das Ilhas Ábacos, com 80% de probabilidade de se converter em tempestade tropical nas próximas 48 horas, segundo o NHC. No noroeste do arquipélago, cerca de 1.300 pessoas estão desaparecidas após a passagem do Dorian, informaram as autoridades na quinta-feira. As autoridades disseram que o furacão devastador, de categoria 5, deixou até agora 50 mortos.

Mas também expressaram o temor de que o número aumente significativamente. "Segundo a informação que tenho e o que sei, há centenas de pessoas mortas", disse na quarta-feira o ex-premier Hubert Ingraham, citado pelo jornal Nassau Guardian. "Não dou atenção à cifra de 50", disse Ingraham, após percorrer as Ilhas Ábaco. "Centenas de pessoas morreram em Ábaco e um número significativo em Grande Bahama", a outra ilha severamente afetada pelo furacão, disse.

A busca de pessoas "é um processo lento", disse o comissário de Polícia das Bahamas, Anthony Ferguson, em uma coletiva de imprensa. "Temos que atravessar todos estes escombros, tomar nosso tempo e buscar". "Passará muito tempo até que se possa dizer o número (final)". Carl Smith, porta-voz da NEMA, disse que 150 pessoas estavam atualmente em refúgios na ilha de Grande Bahama e 2.000 em Nova Providência, situada em Nassau.

"Não recebemos mais muitas pessoas deslocadas das ilhas Ábaco", acrescentou. O porta-voz também informou que as autoridades tinham suspendido a deportação de imigrantes ilegais que foram afetados pela tempestade. As Bahamas têm uma vasta comunidade de haitianos, e alguns dos que se encontram irregularmente no arquipélago expressaram o temor de serem expulsos.