Tiroteio termina em um morto, feridos e atirador "neutralizado" em Moscou
capa

Tiroteio termina em um morto, feridos e atirador "neutralizado" em Moscou

Disparos foram feitos perto da sede dos serviços secretos russos

Por
AFP

Tiroteio ocorreu perto das 19h15min locais

publicidade

Uma troca de tiros, ocorrida nesta quinta-feira, perto da sede dos serviços secretos russos (FSB), deixou pelo menos um morto e vários feridos, e o atirador foi "neutralizado" - informaram os serviços secretos russos (FSB) e agências de notícias oficiais. "Um desconhecido abriu fogo perto do número 12 da rua Bolchaia Lubianka. Há feridos. Sua identificação está em curso. O criminoso foi neutralizado", anunciou a assessoria de imprensa da FSB à agência de notícias oficial Tass.

Segundo o porta-voz do Kremlin, Dmitri Peskov, o presidente russo, Vladimir Putin, foi informado da situação. Jornalistas da AFP próximos ao local ouviram tiros por volta das 19h15min locais, e as forças da ordem pediram à imprensa e aos curiosos para se afastarem. O bairro foi cercado pela polícia, enquanto várias ambulâncias eram enviadas para a área do ataque.

O episódio aconteceu algumas horas depois da grande entrevista coletiva anual concedida por Putin. Segundo a agência de notícias RIA Novosti, ele participava, na sequência, de uma cerimônia em homenagem às forças de segurança. A troca de tiros foi nesta quinta-feira à noite, perto do quartel-general do FSB, o serviço federal de segurança, um dos herdeiros do KGB soviético.

O prédio fica no centro de Moscou, a alguns minutos a pé da Praça Vermelha e do Kremlin, sede da Presidência. Putin dirigiu a FSB em 1998-1999 e tinha seu gabinete neste prédio. As redes sociais exibiram vários vídeos que mostravam policiais armados correndo agachados perto do edifício.

Em um vídeo postado na conta do Twitter do site de notícias slow.ru, é possível ouvir os tiros perto doprédio. A polícia informou que "o tráfego foi interrompido no bairro de Bolchaia Lubianka", e pediu à população para fazer outro trajeto.

Nos anos 2000, a Rússia foi palco de vários atentados, ligados à guerra da Chechênia contra os separatistas e, na sequência, à rebelião islamista no Cáucaso do Norte. Em 2010, um duplo atentado suicida aconteceu no metrô de Moscou. Uma das explosões ocorreu na estação de metrô Lubianka, próximo à sede da FSB