Trajeto marítimo no Ártico russo deve ser fortalecido após bloqueio do Canal de Suez

Trajeto marítimo no Ártico russo deve ser fortalecido após bloqueio do Canal de Suez

Presidente Vladimir Putin fez da exploração do local uma prioridade estratégica

AFP

Putin fez da exploração do Ártico uma prioridade estratégica

publicidade

O bloqueio do Canal de Suez por um gigantesco navio encalhado mostra a necessidade de fortalecer a via marítima no Ártico russo, cada vez mais praticável devido à mudança climática. "O incidente do Canal de Suez revelou a necessidade de continuar desenvolvendo rotas alternativas, começando pela Rota Marítima do Norte", disse Nikolai Korshunov, responsável da cooperação internacional no Ártico para a chancelaria russa, citado pela agência de notícias Interfax.

O presidente Vladimir Putin fez da exploração do Ártico uma prioridade estratégica, especialmente através da criação de um trajeto marítimo ao longo da costa do norte de seu país para unir Europa e Ásia e competir com o Canal de Suez, pelo qual transita 10% do frete marítimo mundial. A mudança climática e o recuo do gelo nos verões boreais tornam o projeto mais realista, embora no momento seja prematuro pensar em um trajeto praticável e confiável.

Enquanto isso, a Rússia desenvolve uma frota de quebra-gelos nucleares. Korshunov afirmou que a paralisação do tráfego no Canal de Suez devido ao navio encalhado "força cada um a refletir sobre a diversificação das vias marítimas estratégicas".

A Rússia registrou uma temperatura média recorde em 2020 e um recuo histórico da calota polar durante o verão boreal, anunciou o instituto meteorológico Rosguidromet em um relatório na quinta-feira. Em comparação aos anos 1980, a superfície do gelo é "5 a 7 vezes" menor, afirmou a agência.

Veja Também

 


publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895