Trump garante que "coronavírus está sob controle"
capa

Trump garante que "coronavírus está sob controle"

Brasil adotou novas medidas para monitorar quem chega de nações com contágios

Por
AFP

Presidente dos EUA também projetou recuperação de bolsas

publicidade

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, utilizou sua conta no Twitter para afirmar que "o coronavírus está sob controle" naquele país. "Estamos em contato com todas pessoas e nações relevantes", acrescentou.

Trump utilizou a mesma postagem para comentar o desempenho da bolsa de valores, fortemente afetada pelas notícias de contágios na Europa. "O mercado de ações está começando a parecer muito bom para mim!", disse. Hoje, as bolsas norte-americanas recuaram mais de 3%, com o índice Dow Jones anulando os ganhos de 2020.

Brasil toma novas medidas

Após a confirmação de casos do novo coronavírus na Itália, o Ministério da Saúde do Brasil informou que aumentou de 8 para 16 a lista de países para a definição de casos suspeitos para o novo coronavírus no Brasil. Na sexta-feira, o ministério divulgou que a lista de países para a consideração de casos suspeitos contava com Japão, Singapura, Coreia do Sul, Coreia do Norte, Tailândia, Vietnã e Camboja, além da China.

Nesta segunda-feira, a Itália registrou cinco mortes pelo novo coronavírus. Dois idosos, um de 84 e outro de 88 anos, são as mais recentes vítimas da pneumonia viral. O país já o terceiro com mais casos no mundo, depois da China e da Coreia do Sul. Com a nova atualização, a lista agora inclui, além da Itália, Alemanha, França, Austrália, Filipinas, Malásia, Irã e Emirados Árabes. Agora, estão enquadradas dentro desta definição de casos suspeitos as pessoas que viajaram para esses países nos últimos 14 dias e que apresentarem febre e mais um sintoma gripal, como tosse ou falta de ar.

"Não estamos fazendo nada diferente do que vínhamos fazendo com outros países. O que estamos fazendo é ampliar a capacidade de identificação do vírus no território nacional a partir do histórico de pessoas que foram para esses países", disse o secretário de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde, Wanderson de Oliveira. Segundo o secretário, a partir da atualização da lista, os profissionais que trabalham em locais de entrada de pessoas no país, como portos e aeroportos devem prestar mais atenção nas pessoas que chegam desses locais e venham a apresentar sintomas de doenças respiratória. Oliveira disse que não há recomendação do governo para que as pessoas não viagem para esses países, como no caso da China, que está em quarentena.